Olhar Jurídico

Segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Notícias / Civil

Justiça determina reintegração de fazenda ofertada por Pedro Nadaf em delação premiada

Da Redação - Arthur Santos da Silva

21 Out 2019 - 10:55

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça determina reintegração de fazenda ofertada por Pedro Nadaf em delação premiada
O juiz Alexandre Paulichi Chiovitti, da Vara Única de Poconé (104 km de Cuiabá), determinou reintegração de posse sobre uma fazenda avaliada em R$ 6 milhões pertencente ao ex-secretário de Casa Civil, Pedro Nadaf. O imóvel, identificado como Fazenda DL, foi entregue em acordo de delação premiada junto ao Ministério Público Federal (MPF).

Leia também 
STF nega recurso que buscava anular indicação de Maluf ao TCE-MT

 
No processo, Nadaf afirma que a fazenda foi invadida pelos pecuaristas Roberto Peregrino Morales e Roberto Peregrino Morales Júnior. O ex-secretário adquiriu o imóvel em 2014. Assim que souberam do acordo de colaboração premiada, os acusados passaram a fazer ameaças para reaverem a propriedade.
 
Em sua decisão, Alexandre Paulichi levou em conta documentos apresentados."No caso em tela, verifico que a probabilidade do direto está demostrada pelo registro de imóvel no qual consta que o autor adquiriu o bem, em 07 de janeiro de 2015, ou seja, está demostrada a propriedade".
 
O magistrado considerou ainda que há risco ao resultado útil do processo, uma vez que, conforme fotografia juntada nos autos, o imóvel não pode ser acessado. Está trancado com cadeados e placas informando a proibição de entrada.
 
O risco de dano também está demonstrado com indícios de que há criação de gado de forma indevida, acarretando prejuízo à vegetação da fazenda.
 
"Isto postos, e pelo que mais consta dos autos, defiro a liminar pleitada por Pedro Jamil Nadaf em desfavor de Roberto Peregrino Morales e Roberto Peregrino Morales Junior, para determinar a reintegração de posse do imóvel descrito na inicial, em favor da parte requerente".
 
Mandado de reintegração de posse foi expedido, oficiando a Polícia Militar de Mato Grosso.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet