Olhar Jurídico

Domingo, 08 de dezembro de 2019

Notícias / Civil

Ex-vereador em Cuiabá é alvo de mandado de bloqueio no valor de R$ 324 mil

Da Redação - Arthur Santos da Silva

22 Nov 2019 - 11:41

Foto: Reprodução

Ex-vereador em Cuiabá é alvo de mandado de bloqueio no valor de R$ 324 mil
O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada em Ação Cível Pública de Cuiabá, determinou penhora de até R$ 324 mil em nome do ex-vereador Neviton Fagundes Moraes. A determinação consta em cumprimento de sentença publicado nesta sexta-feira (22).

Leia também 
Juiz sinaliza arquivamento de ação que questiona pensão paga a deputados e ex-parlamentares
 

Néviton foi condenado inicialmente ao pagamento de R$ 215 mil, devido a suposta prática de ato de improbidade administrativa. Ele, enquanto professor de uma escola municipal, teria se ausentado da sala, sem justificativa, para praticar atos de campanha. O valor devido foi atualizado após constatação de que não houve pagamento voluntário.
 
Além do ex-parlamentar, foram condenados no mesmo processo a diretora da escola, Zenilda Rocha, e as servidoras Jackeline Campos da Luz e Lúcia Campos da Luz. O caso começou a ser investigado a partir da denúncia de Jones Almeida Maciel, que noticiou irregularidades ocorridas na escola municipal de educação básica Rafael Rueda, em Cuiabá.
 
Lúcia Campos acumulou cargos públicos no município e estado, após aprovação em concurso público, porém, desistiu de trabalhar na escola municipal e colocou a filha Jackeline da Luz em seu lugar.
 
Há pedido de bloqueio em nome de Lúcia Campos, no valor total de R$ 6.136 mil. Pedido de penhora conta Jackeline da Luz alcança também R$ 6.136 mil. Zenilda Rocha sofrerá bloqueio de R$ 319 mil.
 
Caso o bloqueio de valores seja infrutífero, Bruno D’Oliveira Marques determinou que sejam buscados bens.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Willian
    22 Nov 2019 às 14:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet