Olhar Jurídico

Quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Notícias / Criminal

Homem acusado de matar ex-namorada e amiga a pauladas é absolvido pelo Júri

Da Redação - Vinicius Mendes

12 Dez 2019 - 09:30

Foto: Reprodução

Homem acusado de matar ex-namorada e amiga a pauladas é absolvido pelo Júri
O Tribunal do Júri de Cuiabá absolveu Diego José da Silva das acusações de homicídio duplamente qualificado contra sua ex-namorada Poliana Alessandra de Araújo Alves, 14 anos, e a amiga dela Luzinete Lemos Rodrigues, 16 anos. As duas adolescentes foram mortas a pauladas em outubro de 2014. O homem foi absolvido por insuficiência de provas.
 
Leia mais:

Juiz condena hotel Holiday Inn a pagar pensão a motoboy atropelado por carro da empresa
 
O crime aconteceu no bairro Jardim Umuarama, em Cuiabá, no dia 5 de outubro de 2014. As vítimas foram mortas a pauladas e seus corpos encontrados dentro da casa de Poliana, sem roupas. O acusado era ex-namorado da menor de 14 anos e foi preso no dia 13 de outubro do mesmo ano.
 
Diego teria confessado ter feito ameaças de morte à garota que se recusava a reatar o relacionamento, mas negou que teria cometido o crime. Apesar de não manter mais nenhum relacionamento com Poliana, o rapaz morava nos fundos da casa dela, e se recusava a deixar o local.
 
Fato que despertou à atenção da Polícia é que nem o portão da casa e nem a porta da sala apresentaram sinais de arrombamento na data do crime. Para a polícia, o fato evidencia que o criminoso tinha as chaves do local.
 
Diego foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, sem defesa das vítimas e motivo passional. A delegada Anaíde Barros, que presidiu as investigações, informou que o suspeito seria o único autor do crime.
 
O julgamento no Tribunal do Júri ocorreu no último dia 2 de dezembro. Uma das testemunhas foi ouvida para tentar esclarecer um fato apurado na quebra de sigilo telefônico. A testemunha teria ligado para o telefone de Luzinete horas depois do crime ter sido consumado e uma pessoa teria atendido. O aparelhos, porém, desapareceram.
 
O suspeito foi interrogado e alegou “negativa de autoria”. O Ministério Público se manifestou pela “absolvição por insuficiência de provas, ambas as vítimas”. A defesa de Diego então sustentou a tese de “negativa de autoria e absolvição, ambas as vítimas”. O Conselho de Sentença então se reuniu e decidiu pela absolvição de Diego, por não existir prova suficiente para a condenação. O alvará de soltura dele já foi expedido.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • martha
    13 Dez 2019 às 14:32

    pq a autoridade policial não requereu pericías no local e ...consta que o crime foi praticado com as portas fechadas, pq não fizeram pericia na porta, pois os matatores pegou na proita ...pra sair..... o perito falou que foi sangue até no teto....nos materiais encontrados, inclusive esperma na vítima mais velha???!! pq não fizeram?

  • martha
    13 Dez 2019 às 14:28

    o problema que a delegada pegou trechos da quebra de sigilo do reu de forma descontextualizada e elegeu ele como assassino. Ninguém tem dúvidas que o processo ta eivado de vicios desde a fase de investigação. O perito , o promotor todos apontam que só se fosse ninja para ter sido o Diego. Matar duas pessoas ao mesmo tempo, e elas não terem nenhum sinal de defesa , como colocar o braço na frente do rosto e nenhum sinal de luta no local. Somente este ano com a entrada da advogada Natálise ´e que forma pedidos quebras de sigiçlo e identificação de titularidade de telefones que ligaram para as vítimas, dentre dentre eles, tem telefonemas suspeitos feitos pa o telefone da vítima luzinete antes ..próximo do crime ...e logo depois do crime. ...se tiveessem pego todas a cameras que a familia do diego mapeou e entregou pra policia por onde eles haviam passado na noite do crime ...se itvessem feitas as quebras de sigilos telefoncos na eópca do crime ...na fase ainda da investigação... sequer o diego teria sido preso.....

  • martha
    13 Dez 2019 às 14:21

    então se não foi investigado como deveria ter sido feito, tem que prender um como assassino, ainda que não tenha provas? é isso que voce está querendo dizer Chico Bento

  • deovaldo
    12 Dez 2019 às 16:56

    E agora a PJC não conseguiu provas, o MP não conseguiu provar e deixaram o camarada 5 anos preso sem conseguir provar,, acabaram com a vida do rapaz que está marcado pela morte das meninas...Enfim e o Estado ainda fica omisso e se o camarada quiser indenização que procure o seus direitos né....Tinha que indenizar automaticamente nesses casos que ficou preso sem prova ou quando cometer o crime dai atenua pelo 5 anos que ficou preso,,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,,,,,piada isso né gente

  • deovaldo
    12 Dez 2019 às 16:56

    E agora a PJC não conseguiu provas, o MP não conseguiu provar e deixaram o camarada 5 anos preso sem conseguir provar,, acabaram com a vida do rapaz que está marcado pela morte das meninas...Enfim e o Estado ainda fica omisso e se o camarada quiser indenização que procure o seus direitos né....Tinha que indenizar automaticamente nesses casos que ficou preso sem prova ou quando cometer o crime dai atenua pelo 5 anos que ficou preso,,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,,,,,piada isso né gente

  • Marcos
    12 Dez 2019 às 15:40

    Tá. E quem matou afinal?

  • sami
    12 Dez 2019 às 13:17

    Porque será que ele matou as duas,

  • Chico Bento
    12 Dez 2019 às 10:08

    Acho que para provar que não foi ele, devia o juri lembrar que devia ter sido investigado e provado que foi outro que cometeu o crime. Simplesmente falta de provas é complicado num caso como esse.

Sitevip Internet