Olhar Jurídico

Sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Notícias / Criminal

Homem que matou porteira de condomínio de luxo a tiros tem distúrbios psiquiátricos, afirma defesa

Da Redação - Vinicius Mendes

16 Jan 2020 - 08:45

Foto: Reprodução

Homem que matou porteira de condomínio de luxo a tiros tem distúrbios psiquiátricos, afirma defesa
A defesa de Bruno de Lima Pereira, preso na madrugada do dia 26 de setembro de 2019 pela morte de Renecléia Aparecida Bispo, em Rondonópolis (a 216 km de Cuiabá), afirmou que o suspeito teria distúrbios psiquiátricos e por isso cometeu o crime. Uma audiência foi realizada no último dia 14, mas Bruno não chegou a ser ouvido.
 
Leia mais:
"Ela me faltou com respeito", confessa vigilante que matou funcionária de condomínio de luxo; vídeo
 
Renecléia era funcionária de um condomínio de luxo em Rondonópolis e foi assassinada no dia 24 de setembro de 2019. O suspeito se escondeu em uma região de mata por dois dias e depois, ao ser preso, disse que matou a vítima pois ela lhe faltou com respeito.
 
Uma audiência de instrução foi realizada na última terça-feira (14) pela 1ª Vara Criminal de Rondonópolis. O réu não chegou a ser ouvido, mas a defesa dele argumentou que Bruno sofre de problemas psiquiátricos desde 2013, após ter sofrido um acidente de moto.
 
Bruno ainda está preso na Penitenciária Major Eldo Sá, mais conhecida como Mata Grande, desde que sua prisão foi convertida em preventiva no dia 26 de setembro. O suspeito deve ser julgado pelo Tribunal do Júri de Rondonópolis.
 
O caso
 
O segurança Bruno executou a funcionária do Condomínio Village do Cerrado, um dos mais luxuosos de Rondonópolis. A vítima, Renecléia Aparecida Bispo, 41 anos, foi atingida por pelo menos seis disparos de arma de fogo e morreu a caminho do hospital.
 
Segundo as informações da Polícia Militar, Bruno era segurança de uma empresa que presta serviços para o condomínio de luxo. Em dado momento, o acusado teria chegado à portaria, onde a vítima trabalhava, e efetuado os mais de seis disparos de arma de fogo.
 
Segundo relato de uma conhecida, Renecléia era uma mulher educada, esforçada, que sempre trabalhou para sustentar o filho. O marido teria cometido suicídio há pouco tempo.
 
O desentendimento com Bruno teria ocorrido após ela relatar ao chefe que ele estaria permitindo a entrada de pessoas de ‘atitude suspeita’ no condomínio, um dos mais luxuosos de Rondonópolis. Isso estaria atrapalhando o trabalho da vítima, que ainda chegou a discutir com o suspeito antes de ser morta. A versão é investigada pela Polícia Civil.
 
 
Com informações do G1.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • patriota Brasil
    18 Jan 2020 às 14:06

    Conversa fiada.

  • Kleber Venâncio
    18 Jan 2020 às 06:13

    Virou moda matar e dizer ieu sou maluco. Pra fugir da condenação.

  • Itamar Galvão
    17 Jan 2020 às 23:31

    Estava trabalhando e o atestados médicos apto para trabalhar ......na firma deve ter de louco não tem nada

  • Itamar Galvão
    17 Jan 2020 às 23:31

    Estava trabalhando e o atestados médicos apto para trabalhar ......na firma deve ter de louco não tem nada

  • Itamar Galvão
    17 Jan 2020 às 23:31

    Estava trabalhando e o atestados médicos apto para trabalhar ......na firma deve ter de louco não tem nada

  • Maria Alice Pedra 90
    16 Jan 2020 às 15:29

    Faz o teste de Freud. Oferece fezes e vê se ele come...

  • André Guilherme Portocarrero
    16 Jan 2020 às 15:01

    Carro de luxo, condomínio de luxo, bairro nobre...qual a importância destes detalhes pra materialidade do fato?

  • Chico Bento
    16 Jan 2020 às 11:19

    Se aproveitando das leis indecentes que existe no Brasil! Olha só a tatuagem dele.

  • Linda MT
    16 Jan 2020 às 09:40

    Ha tá agora ele é louco, é pra acabar mesmo.

  • Marta Ceni
    16 Jan 2020 às 09:40

    Agora é modinha usar desculpa de ter transtorno mental. "Matei? Ah, eu sou louco."

Sitevip Internet