Olhar Jurídico

Terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Notícias / Civil

Aprovados em concurso dos cartórios realizado em 2013 promovem ato para cobrar posse

Da Redação - Arthur Santos da Silva

23 Jan 2020 - 14:45

Foto: Reprodução

Aprovados em concurso dos cartórios realizado em 2013 promovem ato para cobrar posse
Aprovados no concurso público de provas e títulos realizado em 2013 visando a outorga de delegações de notas e de registro do foro extrajudicial planejam ato nesta quinta-feira (23) em Cuiabá, na sede do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Os nomes ainda não tomaram posse.

Leia também 
Recursos travam conclusão de concurso para cartórios em MT, diz presidente do TJ

 
Além do ato, o grupo, denominado “Associação dos Candidatos Aprovados no Concurso Extrajudicial TJMT Edital 30/2013”, também se reunirá com a corregedoria do tribunal. O objetivo é tentar estabelecer um diálogo.
 
“Nossa reunião com a Corregedoria servirá para estabelecermos um canal de comunicação com o Tribunal para que possamos entender por que o resultado final não foi homologado pelo órgão especial do TJMT e por que ainda não fomos convocados para escolha das serventias notariais e registrais do Estado de Mato Grosso e a consequente outorga das delegações”, explicou Daniel Benedito da Silva, presidente da associação.
 
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou em 2019 que o Tribunal de Justiça de Mato Grosso finalizasse o certame. Segundo informações divulgadas pelo próprio Tribunal de Justiça de Mato Grosso durante o lançamento do edital, o concurso foi supervisionado pela Gerência Setorial de Concurso Públicos do TJMT.
 
O atual presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, afirmou ao Olhar Jurídico em dezembro de 2019 que ainda não há prazo para o encerramento. O magistrado disse que a demora se deve ao alto número de recursos apresentados pelos concorrentes.
 
A associação, porém, acredita que os recursos não podem barrar a finalização do concurso. “Sabemos que existem vários Mandados de Segurança que questionam desde a inscrição definitiva até o resultado final, no entanto, nenhum desses Mandados de Segurança possuem força suspensiva para impedir a homologação do resultado final e a consequente audiência de escolha”, afirma a associação.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Bianca
    24 Jan 2020 às 11:03

    Cartórios são importantes sim, evitam falcatruas a nulidades. Além de ser um concurso dificílimo. Qto a nossa cara feliz, ninguém sabe o que é ter uma situação em suspenso na vida igual estamos, mas não adianta chorar

  • ELIAS
    23 Jan 2020 às 16:59

    CÁ ENTRE NÓS, REPARARAM QUE QUASE TODOS OS MANIFESTANTES ESTÃO FELIZES DA VIDA.. VEJAM OS SEMBLANTES ALEGRES DELES... HUMMM... SEI NÃO...KKKKK

  • Jose Olavo
    23 Jan 2020 às 16:25

    Cartório só existe no Brasil, burocracia do tempo do império, nas mão de famílias tradicionais, tem que acabar com isso não precisamos mais disso hoje existe tecnologia chega de papel e mais gente se comportando como servidor publico, com o ego lá nas alturas, ta doido.

  • O Andarilho
    23 Jan 2020 às 16:17

    Pensando bem, um excelente nome para representar as classes menos favorecidas grande pedaço do Brasil, nosso querido Mato Grosso. Vamos a luta companheiros!

  • OTHON FIALHO BLESSMANN
    23 Jan 2020 às 15:56

    O interesse é financeiro:enquanto as serventias estiverem ocupadas por interinos, o oficial recebe até o teto constitucional e o restante é recolhido ao Tribunal.A nomeação implicará em queda de receita.

Sitevip Internet