Olhar Jurídico

Terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Notícias / Criminal

Sandro Louco é absolvido em processo sobre tráfico de drogas

Da Redação - Arthur Santos da Silva

24 Jan 2020 - 11:47

Foto: Reprodução

Sandro Louco é absolvido em processo sobre tráfico de drogas
O juiz Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, da Décima Terceira Vara Criminal, absolveu Sandro da Silva Rabelo, conhecido como Sandro Louco, um dos líderes do Comando Vermelho (CV) em Mato Grosso. Processo relatava possível crime de tráfico de drogas.
 
Leia também
Herdeiro de ex-deputado morto é incluído em processo que julga mensalinho na ALMT


Ao Olhar Jurídico, o advogado Neyman Monteiro, responsável pela defesa de Sandro Louco, afirmou que “o magistrado Francisco Ferreira Mendes analisou as provas e agiu com toda a justiça necessária”. Neyman também atuou em duas absolvições de Sandro durante julgamentos no Tribunal do Júri que versavam sobre homicídios.
 
A ação proposta pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE) tentava demostrar que o líder da facção, mesmo enquanto preso, usava sua companheira, Thaisa Souza de Almeida, além de pessoa identificada como Laurianne Cristinne Moreira de Amorim, para traficar droga.
 
A narrativa da acusação é confusa e desconexa. Segundo os autos, no dia 12 de setembro de 2013, a denunciada Thaisa Souza foi presa em flagrante por depositar drogas em sua residência. Já a denunciada Laurianne Cristinne foi presa em flagrante transportando e fornecendo drogas.
 
Ainda segundo o Ministério Púbico, o serviço de inteligência da Polícia Militar desvendou que a esposa do Sandro Louco receberia uma mochila contendo 1,5kg de cocaína, notebook e um frasco de perfume para ser entregue no Presídio Pascoal Ramos, atual Penitenciária Central do Estado.

A entrega não ocorreu. Porém, averiguações no celular de Thaisa constataram registros de chamadas destinadas a Sandro Louco. Tanto recebidas quanto efetuadas.


 
Ciente das informações, o Ministério Público argumentou que as circunstâncias indicavam a ocorrência do crime de tráfico de drogas.
 
Em sua decisão, o magistrado não observou provas suficientes para condenar Sandro Louco. Laurianne Cristinne também foi absolvida. Única condenada, Thaisa Souza foi sentenciada com pena definitiva fixada em cinco anos de reclusão no regime prisional semiaberto.

Sandro Louco está preso em consequência de outras condenações. 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zeca
    27 Jan 2020 às 09:16

    Prisão para os usuários e não haverá mais traficantes, pois não terão a quem vender!

  • Arthur
    24 Jan 2020 às 15:50

    Sandro é INOCENTO! É mais uma vítima do sistema! A culpa é dos usuários, porque se eles não existissem, o traficante também não existia. Obs: É CLARO QUE ESTOU SENDO IRÔNICO. Mas do jeito que a coisa está indo, não duvido de que daqui mais um tempo, apareçam defensores de "coitadinhos" como esse aí, fazendo afirmações desse tipo.

  • Critico
    24 Jan 2020 às 14:46

    M E D O?

  • paulo roberto
    24 Jan 2020 às 14:39

    Vamos canonizar Sandro Louco em vida, tadinho, será quanto custou tal decisão....É por isso que a bandidagem cresce.....Eu acho!!

  • Galdencio
    24 Jan 2020 às 14:27

    Não seria o caso de quebrar o sigilo bancário desse suposto "magistrado". 3 vezes é impossível. Tem alguma coisa errada. Isso tá cheirando muito mal. Isso cheira a patifaria.

  • Gustavo
    24 Jan 2020 às 12:50

    Essa é a nossa justiça isso aqui e o Brasil...

Sitevip Internet