Olhar Jurídico

Quarta-feira, 05 de agosto de 2020

Notícias / Criminal

Tribunal de Justiça determina retirada de tornozeleira instalada em Rogers Jarbas

Da Redação - Arthur Santos da Silva

19 Fev 2020 - 14:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Tribunal de Justiça determina retirada de tornozeleira instalada em Rogers Jarbas
A Terceira Câmara Criminal determinou o fim do monitoramento eletrônico, por meio de tornozeleira, do delegado aposentado da Polícia Judiciária Civil (PJC), Rogers Jarbas. Decisão foi estabelecida nesta quarta-feira (19), em habeas corpus.

Leia também 
Gaeco prende acusado de tráfico de maconha no transporte de grãos e apreende R$ 1,5 milhão em drogas

 
A tornozeleira foi imposta em 2019, em decisão do juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7º Vara Criminal de Cuiabá. A Polícia Civil, na Grampolândia Pantaneira, apontou tentativa de impedir investigação. Entre as medidas impostas estavam ainda recolhimento noturno nos fins de semana e feriados, e proibição de se aproximar de outros investigados.
 
Jarbas já foi denunciado pelo crime de coação no curso do processo relacionado a uma discussão que teve com o delegado Flávio Stringueta no estacionamento de um supermercado em Cuiabá.
 
A denúncia refere-se a um fato ocorrido no dia 28 de março de 2018, no interior de um supermercado de Cuiabá. Na ocasião, o acusado passou a monitorar o também delegado Flávio Henrique Stringueta, na tentativa de “mapeá-lo” em dois momentos.
 
A vítima, conforme consta na denúncia, atuou como presidente dos autos de inquérito policial que culminou na Operação Esdras, que por sua vez resultou na prisão de Rogers Elizandro Jarbas. Há indícios de ligação com uma organização criminosa atuante em interceptações telefônicas clandestinas.
 
Segundo o Ministério Público, após as tentativas de intimidação no interior do supermercado, o denunciado ainda procurou a vítima no estacionamento provocando uma discussão, chamando-o de “safado” e instando-o a resolver as coisas de “homem pra homem”.

O habeas corpus foi relatado pelo desembargador Gilberto Giraldelli. O relator foi seguido por Juvenal Pereira e Rondon Bassil. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joana
    20 Fev 2020 às 13:16

    sera que se fosse um ze qualquer tambem teria a tornozeleira retirada?

  • Fred
    19 Fev 2020 às 18:47

    Bandido da grampolandia

  • Jorge Jesus
    19 Fev 2020 às 16:35

    Ainda temos que trabalhar, pagar impostos para sustentar esses dai.

  • Lori Lorena
    19 Fev 2020 às 14:52

    Aposentou aos 40, percebendo mais de 30 mil reais e, vc, que manda mensagem revoltadinha pra site, é o bobo que paga. Continuem sendo mansos , e continuem votando em Bozonaro Emanuel ,Misael e, Júlio, Lucimar...

Sitevip Internet