Olhar Jurídico

Quinta-feira, 02 de abril de 2020

Notícias / Criminal

Delação de Riva aponta crimes cometidos por servidores no Legislativo, Executivo e Judiciário

Da Redação - Wesley Santiago

20 Fev 2020 - 17:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Delação de Riva aponta crimes cometidos por servidores no Legislativo, Executivo e Judiciário
A bombástica delação do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva, homologada nesta quinta-feira (20), promete trazer, além de políticos, nomes de servidores, gestores e até pessoas jurídicas que teriam integrado organização criminosa que instalou a corrupção nos três Poderes de Mato Grosso.

Leia mais:
Desembargador homologa delação e Riva se compromete a pagar R$ 92 milhões
 
Conforme o termo de homologação, o conteúdo da colaboração envolve supostas condutas ilícitas atribuídas a ex-parlamentares e gestores, ocupantes de mandatos e cargos públicos e servidores públicos, além de empresários e pessoas jurídicas.
 
Todos eles, conforme a delação do ex-deputado estadual, formaram quadrilha, posteriormente associação e aparente organização criminosa ao longo de mais de duas décadas, institucionalizando a corrupção nos poderes Legislativo e Executivo, a ponto de alcançar, em tese, membros do Poder Judiciário.
 
Ainda conforme despacho do desembargador Marcos Machado, a voluntariedade de Riva foi confirmada na audiência realizada em 10 de fevereiro deste ano, quando ele afirmou ter tomado a iniciativa de propor o acordo de colaboração, sem coação ou ameaça.
 
A bombástica delação de José Riva foi dividida em 57 caixas (mesmo número de anexos), que contém documentos e as declarações do colaborados sobre as supostas condutas ilícitas praticadas pela organização criminosa.

Homologação

O desembargador Marcos Machado, membro do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), homologou a delação premiada firmada pelo ex-deputado estadual José Riva. A decisão é desta quinta (20) e promete estremecer o cenário político do Estado. Somente o "mensalinho", que teria ocorrido desde 1995, movimentou R$ 175 milhões. 

Delação

Conforme apurado pelo Olhar Juridico, a colaboração premiada de José Riva apresenta lista com 38 nomes de ex-deputados e deputados que supostamente receberam mensalinho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Os fatos tiveram início em 1995 e alcançaram montante aproximado de R$ 175 milhões. 
 
Riva também disse ao Ministério Público (MPE) que desde 1995 os deputados estaduais gastaram aproximadamente R$ 40 milhões durante negociações para as eleições da Mesa Diretora.
 
Para comprovar os crimes, o ex-parlamentar apresentou transferências bancárias, depósitos, notas promissórias e testemunhas. 

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tio Bento
    21 Fev 2020 às 12:58

    Daí os delatos fazem delação, e os delatados dos delatados fazem delação e ninguém vai preso.

  • jose
    21 Fev 2020 às 11:16

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • alexandre
    21 Fev 2020 às 09:58

    tem que pegar todo mundo, espero que o corporativismo não proteja, e somente o cabo paguer a conta...

  • Galdencio
    21 Fev 2020 às 09:53

    Vai devolver essa merreca diante do roubo astronômico que cometeram. Vai ficar leve, rico e solto. Aos que foram deletados não acontecerá nada, pois essa justiça é uma verdadeira panacéia composta por um bando de lixo desqualificados. Porque o segredo de justiça? Porque membros do STF está envolvido com toda a certeza. Em fim sobrou para o contribuinte.

  • Winchester 44
    21 Fev 2020 às 07:57

    Vixi, tá todo mundo lascado! Kkkkkkk

  • Justiceiro
    20 Fev 2020 às 21:32

    Não vai dar NADA.... Quem perdeu foi ele por devolver o dinheiro. Alguem acha que juiz, desembargador, adovogados vão pra cadeia? Se o prefeito com video gravado ficou impune imagina os deuses fo judiciário....

  • Roberto rezende
    20 Fev 2020 às 21:18

    DUVIDO QUE TENHA ALGUEM DO PODER JUDICIARIO QUE ESTEJA ATUANDO!!

  • ZE NINGUÉM
    20 Fev 2020 às 21:14

    VOU ROUBAR A FERRARI DE 100000000$ DO MEU VIZINHO, AI DEPOIS DE 50 ANOS VOU DELATAR O OUTRO VIZINHO QUE ME AJUDOU A ROUBAR E DEVOLVEREI 500$. DEPOIS IREI NA MISSA. ENTENDAM COMO BEM QUISEREM.

  • José
    20 Fev 2020 às 21:01

    Piada pronta...devolver esta merreca após meio século, experimenta atualizar este valor, dos frutos desta aplicação...dos bens em nome de terceiros...pelo que sei ele chegou em Juara para exercer a função de corretor...ou seja, um pelado...e o patrimônio atual, tinha até avião...definitivamente se comprova que o crime compensa neste pais....Não menos importante salientar que o nobre desembargador ainda lhe aufere a possibilidade de escolha...tipo você está certo disto, quer pensar melhor... é esta a sua vontade, Riva você ainda pode desistir desta delação...Caba não mundão.

  • Galdencio
    20 Fev 2020 às 20:31

    Vai devolver essa merreca diante do roubo astronômico que cometeram. Vai ficar leve, rico e solto. Aos que foram deletados não acontecerá nada, pois essa justiça é uma verdadeira panacéia composta por um bando de lixo desqualificados. Porque o segredo de justiça? Porque membros do STF está envolvido com toda a certeza. Em fim sobrou para o contribuinte.

Sitevip Internet