Olhar Jurídico

Terça-feira, 27 de outubro de 2020

Notícias / Eleitoral

CNJ aponta França com direitos políticos suspensos; defesa afirma que liminar garante participação

Da Redação - Arthur Santos da Silva

28 Set 2020 - 12:53

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

CNJ aponta França com direitos políticos suspensos; defesa afirma que liminar garante participação
O Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa e Inelegibilidade, vinculando ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), possui registro de suspensão dos direitos políticos em nome do pré-candidato ao cargo de prefeito por Cuiabá, Roberto França.

Leia também 
Presidente do STF mantém decisão que restabelece servidores no gabinete do vice-prefeito

 
Segundo o registro, os direitos estão suspensos até o dia dois de fevereiro de 2024. Há ainda anotação de inelegibilidade. A defesa de França afirma que uma liminar suspendeu cumprimento de sentença e garante a possibilidade de participação na disputa.
 
A ação que gerou anotação no cadastro foi proposta pelo Ministério Público Estadual em desfavor de Roberto França e Vivaldo Lopes. Acusação versou sobre irregularidades no pagamento de salários dos servidores do Município de Cuiabá, através do sistema “CDC” – crédito direto ao consumidor.
 
Ainda conforme o cadastro do CNJ, condenação gerou ainda proibição de contratar com o poder público, proibição de receber incentivos fiscais, direta ou indiretamente, e proibição de receber incentivos creditícios, direta ou indiretamente.
 
Roberto França foi intimado em agosto de 2019 para pagar o valor total do débito gerado pela condenação, pouco mais de R$ 2,6 milhões.
 
Defesa
 

A defesa de Roberto França afirmou ao Olhar Direto que o cumprimento da sentença que gerou cadastro no CNJ foi suspenso por decisão liminar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). A decisão, de novembro de 2019, está sob sigilo.

O cadastro de inelegibilidades do CNJ, no que se refere à pessoa de Roberto França, está desatualizado. Sua última movimentação é de março de 2019. Em outubro do mesmo ano, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso, por intermédio do Desembargador Márcio Vidal, ex-Presidente do TRE/MT, acatou pedido de tutela antecipada formulada em ação rescisória e suspendeu a condenação que injustamente pesava contra o candidato. Tomaremos providências para que o CNJ atualize seu cadastro e evite equívocos dessa natureza. Essa é a verdade dos fatos.
 
Registro de candidatura
 

A solicitação de candidatura em nome de roberto França ainda aguarda julgamento do Tribunal Regional Eleitoral.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet