Olhar Jurídico

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Notícias / Eleitoral

Avalone afirma que dinheiro apreendido em carro de campanha era empréstimo para compra de imóvel

Da Redação - Arthur Santos da Silva

01 Out 2020 - 14:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Avalone afirma que dinheiro apreendido em carro de campanha era empréstimo para compra de imóvel
O deputado estadual Carlos Avalone (PSDB) entregou alegações finais no dia 17 de setembro requerendo que seja julgado improcedente representação eleitoral que pode gerar sua cassação. Documento é assinado pelo advogado Rodrigo Mudrovitsch.

Leia também 
Carlos Alberto afirma que emenda obedeceu rito e pede que possibilidade de reeleição seja mantida

 
O deputado teve o nome envolvido em apreensão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no município de Poconé (100 km de Cuiabá). Segundo informações da PRF, um veículo Gol, de cor prata, foi abordado no quilômetro 560 da BR-070.

No interior do veículo, os agentes abordaram três suspeitos, que estavam com R$ 89,9 mil em dinheiro vivo, além de vários santinhos do então candidato a deputado estadual, Carlos Avalone. Os ocupantes do veículo foram identificados como Dener Antônio da Silva, Rosenildo do Espirito Santo Bregantini e Luiz da Guia Cintra de Alcantara.
 
A linha de defesa de Avalone afirma que o dinheiro encontrado no veículo alocado para a campanha não pertencia ao parlamentar, mas sim a Luiz da Guia. “O dinheiro não se destinava à captação ilícita de votos nem ao pagamento de cabos eleitorais, mas, sendo proveniente de empréstimo pessoal de Luiz da Guia junto a terceiro, Armando Bueno, tinha ele por finalidade a aquisição de imóvel para o próprio mutuário”, afirma peça da defesa.
 
Segundo Rodrigo Mudrovitsch, tudo o quanto consta dos autos indica “que este Representado [Carlos Avalone] não tem qualquer ligação com o valor apreendido”. Inicialmente na lista de suplentes, Carlos Avalone tomou posse na Assembleia Legislativa após a ida de Guilherme Maluf para o Tribunal de Contas do Estado (TCE).
 
Nas alegações finais de acusação, o Ministério Público pediu a cassação do diploma eleitoral concedido a Carlos Avalone. O caso aguarda inclusão em pauta para julgamento no Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet