Olhar Jurídico

Sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Notícias | Eleitoral

decisão judicial

Propaganda que liga Abílio a desvios na Assembleia de Deus é retirada do ar

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Propaganda que liga Abílio a desvios na Assembleia de Deus é retirada do ar
O juiz Geraldo Fidelis, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, atendeu pedido dos advogados do candidato ao cargo de prefeito de Cuiabá, Abílio Junior (Podemos), determinando suspensão de propaganda do atual gestor em busca de reeleição, Emanuel Pinheiro (MBD), que acusa suposto desvio de recursos da Igreja Assembleia de Deus.

Leia também 
Juiz mantém propaganda em que cidadã diz que Abílio é imaturo, inexperiente e age com falta de respeito


Conforme a peça publicitária, pessoa não identificada afirma: “eu trabalhei muito tempo na igreja Grande Templo como motorista, recebia ordens diretamente do Abílio, e muito delas era pra levar materiais que era comprados na Todimo, para uma mansão, uma casa grande que ele tinha lá no Jardim Califórnia. Os materiais era pra Igreja e ele pedia pra levar pra lá e deixar na casa”.

A citada peça publicitária afirma ainda: “Isso é corrupção! Se Abílio fez na Igreja, imagina na Prefeitura!”. Os advogados de Abílio salientaram que a “propaganda combatida lança mão de fatos sabidamente inverídicos, com conteúdo calunioso, difamatório e injurioso”.
 
Conforme decisão de Fidelis, “não há, até o presente momento, qualquer evidência de que o representante tenha respondido processo criminal acerca do suposto desvio”.

Ainda segundo o juiz, há perigo de desequilíbrio na proximidade das eleições e o fato de que notícias podem possuir o condão de comprometer de maneira substancial o pleito.
 
Ao determinar a suspensão da propaganda, a Justiça Eleitoral estipulou multa no valor de R$ 30 mil em caso de descumprimento.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet