Olhar Jurídico

Quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Notícias / Eleitoral

Liminares suspendem vídeos que ligam Abílio a atos de violência e corrupção

Da Redação - Arthur Santos da Silva

26 Nov 2020 - 17:41

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Liminares suspendem vídeos que ligam Abílio a atos de violência e corrupção
O juiz Geraldo Fidelis, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, acatou pedidos liminares em nome do candidato ao cargo de prefeito, Abílio Junior (Podemos), e determinou a retirada de vídeos que ligam o político a possíveis atos de violência contra mulheres e possíveis atos de corrupção na Igreja Assembleia de Deus.

Leia também 
Maria Helena Povoas é eleita presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso

 
Conforme os autos, uma peça que estava sendo difundida em redes sociais qualificava Abílio como agressor, violento e covarde. Ao final, a narração do vídeos questionava: “você votaria em quem bate em mulheres?”.
 
Conforme Fidelis, “é evidente que há imputação de crimes, sem a veiculação de provas que confirmem a veracidade da alegação”. Em sua decisão, o juiz estabeleceu prazo de duas horas para que o Facebook e o Whatsapp retirem o vídeo de circulação. Decisão é do dia 26 de novembro.
 
Vídeo sobre possíveis atos de corrupção na Igreja Assembleia de Deus estava sendo divulgado como propaganda eleitoral da campanha do atual gestor em busca de reeleição, Emanuel Pinheiro (MDB). “Abílio fez na igreja, quer fazer na prefeitura”, dizia a peça.
 
Conforme decisão do juiz, não há, até o presente momento, “qualquer indicativo de que o representante tenha respondido processo criminal ou que o denunciante da propaganda eleitoral tenha formalizado perante as autoridades competentes o ato divulgado, acerca do suposto desvio”
 
A liminar determina a suspensão da propaganda, sob pena de multa no valor de R$ 30 mil.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet