Olhar Jurídico

Domingo, 28 de fevereiro de 2021

Notícias / Eleitoral

Juiz encerra instrução e dá prazo para alegações finais em ação que pode cassar Bezerra

Da Redação - Arthur Santos da Silva

19 Jan 2021 - 09:19

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juiz encerra instrução e dá prazo para alegações finais em ação que pode cassar Bezerra
O juiz Gilberto Lopes Bussiki, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), declarou encerrada a instrução probatória e deu prazo de dois dias para apresentação de alegações finais em representação contra o deputado federal Carlos Bezerra (MDB), acionado por arrecadação e gastos ilícitos de recursos na campanha de 2018. Processo pode gerar cassação. 

Leia também 
Juíza marca interrogatório de três em ação sobre venda de sentenças
 

“Abra-se vista às partes, pelo prazo sucessivo de dois dias, para as alegações finais, encaminhando-se primeiramente o feito ao Representante (PRE), e, em seguida, publicando-se este despacho no DJE-TRE/MT para intimação do Representado”, decidiu Bussiki.
 
Na prestação de contas, foi declarado o total de recursos recebidos de R$ 1,883 milhão e despesas contratadas de R$ 1,791 milhão. De acordo com parecer técnico, o representado apresentou a prestação de contas com graves infrações de arrecadação e gastos de recursos.
 
Entre as irregularidades, destacam-se o número de pessoas ligadas à campanha e não declaradas, veículos e abastecimentos não contabilizados, além da malversação de recursos públicos oriundos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha.
 
Antes de encerrar a instrução, Bussiki negou pedido do Ministério Público para afastar o sigilo bancário de Bezerra e de seus principais fornecedores e colaboradores de campanha.
 
Segundo o Ministério Público Eleitoral, a quebra de sigilo era necessária para obtenção de informações sobre a real movimentação financeira correspondente ao período de campanha.
 
Em sua decisão, Bussiki esclareceu que, realizada a oitiva de testemunhas, dentre as quais se destacam os principais fornecedores da campanha eleitoral do representado, não despontaram episódios que justificassem medida excepcional para quebra de sigilo bancário.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet