Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de abril de 2021

Notícias / Civil

inquérito policial

MPE recebe novas fotos de adolescente que levou arma ao Alphaville e pede investigação

Da Redação - Arthur Santos da Silva

02 Mar 2021 - 10:06

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MPE recebe novas fotos de adolescente que levou arma ao Alphaville e pede investigação
O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) pediu instauração de inquérito policial visando a apuração de eventual responsabilidade de G.F.M.C.C., genitor do adolescente G.A.S.C.C, responsável por levar a arma que matou adolescente Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, no Condomínio Alphaville, em Cuiabá. Terceira pessoal não identificada também é investigada.
 
Leia também 
Recurso pede perícia para avaliar culpa do adolescente que levou pistola usada na morte de Isabele


G.A.S.C.C. era namorado da adolescente B.O.C., que efetuou os disparos. Ele já foi sentenciado pelo ilícito análogo ao delito de porte ilegal de arma de fogo. Após sentença, defesa da atiradora apresentou em outro processo fotos e vídeos em que G.A.S.C.C. aparece portando armas de fogo no interior de residência e de um veículo automotor.
 
O adolescente posou em diferentes oportunidades para fotos e vídeos que, segundo a defesa, foram retiradas no interior da residência do menor e em outros locais, nas quais sempre tinha em sua posse arma de fogo, municiadas e desmuniciadas, inclusive, fazendo exibições de técnicas cognitivas e destreza com armas de fogo, pois é praticante de tiro esportivo.
 
Assim, da análise das imagens, percebe-se que o adolescente, em tese, incorreu na figura do ato infracional análogo ao crime posse/porte ilegal de arma de fogo. A arma de fogo utilizada nos vídeos e fotos, em tese, são de propriedade do genitor do adolescente. Ainda segundo o MPE, uma das armas exibidas nas imagens pode ser de terceiro não identificado.
 
“Assim, estamos diante de forte indício da prática de possível crime de entrega de armas de fogo a adolescente (artigo 16, § 1º, V da Lei nº 10.826/03) em desacordo com a lei e determinação regulamentar, possivelmente praticado pelo seu Genitor [nome suprimido] e até mesmo por terceiros”, assinalou o MPE.

Requerimento de instauração de inquérito foi assinada pelo promotor de justiça Milton Pereira Merquíades no dia 26 de fevereiro.

 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet