Olhar Jurídico

Quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Notícias | Eleitoral

despesas eleitorais

MP se manifesta por mais 90 dias de investigação em inquérito sobre suposta omissão de Fávaro

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MP se manifesta por mais 90 dias de investigação em inquérito sobre suposta omissão de Fávaro
O promotor de Justiça Arnaldo Justino de parecer para que seja concedido mais 90 dias visando a conclusão de inquérito policial em face do senador de Mato Grosso, Carlos Fávaro (PSD), alvo por suspeita de omissão de despesas eleitorais no ano de 2018.

Leia também 
PF pede prazo para finalizar inquérito contra senador por suposta omissão de despesas eleitorais

 
Novo prazo deve ser concedido para finalização de diligências complementares, respeitando pedido da Polícia Federal (PF). Manifestação do representante ministerial foi assinada no dia 17 de março.
 
“Ao que se observa dos autos, as investigações ainda estão em desenvolvimento, restando pendente a conclusão das determinações feitas pelo Delegado de Polícia no Despacho nº 802471/2021, sem prejuízo de outras diligências que se mostrarem necessárias com o avanço das investigações, existindo, portanto, diligências a serem realizadas para formação da opinio delict, tornando-se necessária a concessão de prazo para a continuidade da apuração da infração penal eleitoral, pela Autoridade Policial”, explicou o promotor.
 
Conforme os autos, investigação apura a existência de notas promissórias emitidas por Fávaro em favor da Gráfica Print, cujos valores de R$ 405 mil e R$ 60 mil não teriam sido elencados em sua prestação de contas.

Pesquisas e análise preliminar acerca dos valores totais recebidos nas Eleições de 2018 pela Gráfica Print atingiu montante de R$ 4,7 milhões. Relatório de inteligência aponta que R$ 413 mil seria advindo do então candidato Carlos Fávaro.
 
Além de responder questionamentos para saber se valor dos serviços relativos a nota promissória que está sendo executada constou da prestação de contas referente à campanha, o promotor sinalizou ainda que é preciso “inquirir o proprietário da Gráfica Print para que esclareça alguns pontos, inclusive junte as notas fiscais de serviços prestados ao então candidato durante a campanha eleitoral de 2018”.
 
“Em face do exposto, o Ministério Público Eleitoral, concorda com a solicitação de dilação de prazo conclusão dos trabalhos, por mais 90 (noventa) dias”, finalizou Arnaldo Justino.
 
A assessoria de imprensa do senador esclareceu que Fávaro não vai se manifestar.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet