Olhar Jurídico

Sábado, 16 de outubro de 2021

Notícias / Criminal

tornozeleira

Juíza torna 18 réus por falsificação de diplomas, revoga prisões e determina monitoramento

Da Redação - Arthur Santos da Silva

12 Ago 2021 - 11:11

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juíza torna 18 réus por falsificação de diplomas, revoga prisões e determina monitoramento
A juíza Ana Cristina Mendes, da Sétima vara Criminal de Cuiabá, recebeu denúncia e tornou réu 18 pessoas investigadas na Operação Zircônia. Decisão foi proferida no dia 10 de agosto.

Leia também 
Gaeco denuncia 18 pessoas por esquema de falsificação de diplomas; veja nomes

 
Em consequência da operação, o Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), denunciou 18 pessoas pelos crimes de constituição de organização criminosa, estelionato, falsidade ideológica e falsificação de documentos públicos. Organização criminosa atuava em fraudes na emissão de diplomas e históricos escolares falsos emitidos por instituições de ensino superior.
 
Segundo o Gaeco, durante as investigações foi constatado que o grupo criminoso criou as instituições Polieduca, MC Educacional e Poliensino, que sequer eram devidamente credenciadas pelo Ministério da Educação, para cometimento reiterado de crimes de estelionato por meio do oferecimento, matrícula e realização de cursos superiores. As três unidades operavam no mesmo local, em Cuiabá.
 
Conforme o Gaeco, embora admitissem alunos para cursos irregularmente oferecidos em seus nomes, ao final os alunos recebiam diplomas, históricos escolares e atestados de conclusão expedidos em nome de outras instituições, jamais frequentadas ou de conhecimento dos alunos, denominadas “parceiras”.
 
Na decisão, a magistrada substituiu prisão preventiva dos acusados Denilton Péricles Araújo e Victor Hugo Carniello Delgado por medidas cautelares diversas da prisão, quais sejam: recolher-se diariamente, de segunda-feira a domingo, inclusive nos feriados, em casa, das 18h às 06h; comparecimento a todos os atos do processo para os quais for intimado; proibição de manter contato com os demais codenunciados e testemunhas; monitoração eletrônica.
 
Maria Madalena Carniello teve prisão domiciliar revogada, mantendo   medida cautelar de proibição de manter contato com as testemunhas.

Lista de denunciados

Denilton Péricles Araújo

Maria Madalena Carniello

Victor Hugo Carniello Delgado

Clenilson Cassio da Silva

José Elivar Andrade

Walter Gonçalves da Silva

Terezinha de Lourdes Carniello

Solange Rodrigues Conceição

Ana Rita Viana Gomes

Elizabeth de Souza Freitas Pajanoti

Maria Socorro Carneiro Geraldes dos Reis

José Alves dos Reis Neto

Bárbara Monique Araújo

Gilberto Louzada de Matos

Nágila Carline Teixeira de Araújo

Marcos Diego de Almeida Gonçalves

Luana Cristina Araújo Delgado

Fabrício Fernando Senger Delgado
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet