Olhar Jurídico

Sábado, 16 de outubro de 2021

Notícias / Criminal

morte de pescadores

Justiça mantém prisão de ex-funcionário de Arcanjo acusado por chacina

Da Redação - Arthur Santos da Silva

16 Ago 2021 - 11:57

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça mantém prisão de ex-funcionário de Arcanjo acusado por chacina
O juiz Murilo Moura Mesquita, da 1ª Vara Criminal de Várzea Grande, negou liberdade a Édio Gomes Junior,   o “Edinho”, acusado de ter atuado como pistoleiro de João Arcanjo Ribeiro. Edinho seria um dos autores da Chacina da Fazenda São João, perto da cidade de Jangada, ocasião em que quatro pescadores foram executados na propriedade do ex-bicheiro, em 2004.

Leia também 
Ex-pistoleiro de Arcanjo é preso por envolvimento em chacina com quatro mortos

 
Decisão negando liberdade foi publicada no Diário de Justiça do dia 11 de agosto. Conforme os autos, os pescadores Pedro Francisco da Silva (25), José Francisco de Almeida (27), Arelir Manoel de Oliveira (32) e Itamar Barcelos (32) foram mortos porque pescavam sem autorização em um dos tanques de piscicultura da Fazenda São João, que era de propriedade de João Arcanjo.
 
Edinho ficou foragido por 18 anos. Preso no último mês de abril, ele estava em Sergipe, trabalhando, quando foi surpreendido pela Polícia Civil. No Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP) constam duas ordens judiciais em aberto contra Edinho, sendo um de 2004 e outro de 2009, ambos da Primeira Vara Criminal de Várzea Grande. 
 
Foram denunciados como executores dos pescadores o gerente do setor de pescas da fazenda, Joilson James Queiroz, e os seguranças Noreci Ferreira Gomes, Valdinei, Evandro Negrão, Édio Gomes Júnior, o Edinho, Alderi Souza Ferreira, o Tocandira, Adeverval José Santos, o Paraíba, e Carlos César André, o Pezão.
 
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet