Olhar Jurídico

Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Notícias | Civil

morto por pistoleiros

Justiça manda Arcanjo pagar pensão de 20 salários e R$ 300 mil à viúva de Sávio Brandão

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça manda Arcanjo pagar pensão de 20 salários e R$ 300 mil à viúva de Sávio Brandão
Justiça Estadual determinou que o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro pague indenização de R$ 300 mil, mais pensão, a Izabella Corrêa Costa, ex-companheira de Sávio Brandão, com quem teve um filho. Pensão terá o valor de 20 salários mínimos, desde o evento danoso (setembro de 2002), até 4 de junho de 2034, data em que a vítima completaria 72 anos. Decisão foi publicada no dia 29 de setembro. 

Leia também 
Médica será ouvida no mês de novembro em ação que pede indenização por morte de verdureiro

 
Segundo argumentado nos autos, Sávio Brandão, dono do jornal Folha do Estado, foi morto por pistoleiros, a mando de Arcanjo. Assassinato teria sido encomendando em razão da exposição que o jornal dava aos supostos crimes cometidos por Arcanjo.
 
Ação argumentou que o falecido era o responsável pelo sustento da família, peça imprescindível e centralizadora das atividades do Grupo Sávio Brandão, e gozava de uma vida confortável, contando com ganhos mensais expressivos advindos de seus empreendimentos, chegando a declarar um patrimônio próximo de R$ 3 milhões.
 
A viúva pediu a fixação de pensão alimentícia em patamar não inferior a 258 salários mínimos e a condenação do réu ao pagamento de indenização por danos morais em quantia não inferior a R$ 2 milhão, além de danos existenciais em quantia também não inferior a R$ 2 milhões.
 
Arcanjo chegou a sustenta ser desproporcional e não razoável a pretendida quantia de R$ 4 milhões, argumentando ser “verdadeira tentativa de enriquecimento ilícito”. O ex-bicheiro disse ainda que o pagamento de pensão alimentícia de 285 salários mínimos foge de qualquer realidade.
 
Justiça determinou pagamento de pensão mensal fixada em favor da autora, no valor correspondente a 20 salários mínimos, dentro do limite de 30% ou de 2/3 da renda do ex-marido. A pensão deve observar a duração provável de vida da vítima, considerando que, segundo o IBGE, a expectativa de vida para os homens brasileiros aumentou para 72 anos. Assim, pagamento deve durar até 4 de junho de 2034.
 
Sobre a indenização, decisão esclareceu que, na jurisprudência, em especial a do Superior Tribunal de Justiça, já se decidiu em caso de morte de pessoa casada com filho pela fixação de R$ 300 mil.
 
“Considerando-se as circunstâncias em que se dera o fato, o grau de culpa do demandado, bem como o nível e as condições socioeconômicas do ex-marido da autora e do réu, sem se permitir, por um lado, o locupletamento indevido, e cuidando, por outro lado, para que a indenização carregue em si o esperado conteúdo didático que implique em coibir e censurar o comportamento do réu, mostra-se justo arbitrar a verba indenizatória, a título de dano moral, em R$ 300 mil”, diz trecho da decisão.
 
Filho

Justiça também condenou, no começo do ano, Arcanjo a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 300 mil a Domingos Sávio Brandão Lima Neto, filho de Sávio Brandão.
 
O ex-comendador também foi condenado a pagar uma pensão de R$ 22,2 mil ao filho do empresário até que ele complete 25 de anos de idade
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet