Olhar Jurídico

Sábado, 27 de novembro de 2021

Notícias | Criminal

contratação política

Servidora indicada por Marcrean tratava verba como ‘mensalinho’ e recebeu salário sem trabalhar

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Servidora indicada por Marcrean tratava verba como ‘mensalinho’ e recebeu salário sem trabalhar
Depoimento de pessoa identificada como Bianca Scaravonatto afirma que o “Prêmio Saúde” pago pela prefeitura de Cuiabá, verba supostamente irregular, era conhecido como “mensalinho”. Bianca trabalhou na Secretaria de Saúde no período de 21 de maio de 2018 a 31 de dezembro de 2018. Sua contratação teria ocorrido por indicação do vereador Marcrean dos Santos, aliado de Emanuel no parlamento.

Leia também 
Emanuel e Márcia indicavam por bilhetes destinatários de verba que gerou rombo de R$ 16 milhões, afirma ex-secretária

 
Ainda segundo depoimento, embora não tivesse formação na área, Bianca foi contratada para o cargo de agente operacional e exerceu suas funções como atendente de farmácia em um Posto de Saúde da capital.
 
Nas declarações de Bianca Scaravonatto também ficou consignado que sua nomeação se deu em um ano eleitoral e que, em razão de sua insatisfação por estar trabalhando em uma área que não era de sua formação, em dezembro de 2018 pediu demissão. No entanto, mesmo sem trabalhar a partir de janeiro de 2019, e, consequentemente, sem assinar folhas de ponto, ela continuou a receber salário e o Prêmio Saúde.
 
O depoimento acrescenta que em abril de 2019 a depoente foi a um Posto de Saúde para buscar um presente de casamento, quando constatou que havia um novo servidor trabalhando na sua antiga função, razão pela qual achou estranha aquela situação e entrou no Portal do Servidor.
 
Na internet, Bianca verificou que foram realizados diversos aditamentos no seu contrato de trabalho, sem o seu consentimento e sem que ela tenha assinado nenhuma folha de ponto desde janeiro de 2019, ou qualquer outro documento atinente a sua recontratação.
 
A Operação


O Ministério Público e a Polícia Judiciária Civil, através do NACO (Núcleo de Ações de Competência Originária), deflagraram nesta terça-feira (19) operação relacionada a ilícitos no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá.
 
Houve a decretação de busca e apreensão e sequestro de bens em desfavor do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro e sua esposa, Márcia Aparecida Kuhn Pinheiro, do Chefe de Gabinete, Antônio Monreal Neto, da Secretária Adjunta de Governo e Assuntos Estratégicos, Ivone de Souza e do Ex-Coordenador de Gestão de Pessoas, Ricardo Aparecido Ribeiro, bem como de afastamento da função pública em relação a Emanuel Pinheiro, Antônio Monreal Neto e Ivone de Souza, e prisão temporária de Antônio Monreal Neto.

Além da medida criminal determinada pelo Egrégio Tribunal de Justiça, o Ministério Público propôs, através do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, ação cível por ato de improbidade administrativa visando a aplicação das sanções da lei de improbidade.

Outro lado

O Olhar Jurídico não conseguiu contato com Marcrean. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet