Olhar Jurídico

Domingo, 05 de dezembro de 2021

Notícias | Criminal

43 mandados

Operação do Gaeco de Goiás apura suspeita de fraude em 49 municípios de Mato Grosso

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Operação do Gaeco de Goiás apura suspeita de fraude em 49 municípios de Mato Grosso
Apuração da Operação Fator R, deflagrada nesta terça-feira (26), busca desvelar organização criminosa empresarial suspeita de fraudar licitações em 148 municípios do Estado de Goiás, 49 municípios do Estado de Mato Grosso, um município do Tocantins e um município da Bahia.

Leia também 
MPE volta a pedir condenação de Ledur por tortura e tenta garantir perda de cargo


A operação é do Ministério Público de Goiás (MPGO), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Foram cumpridos 36 mandados de busca e apreensão e 7 mandados de prisão preventiva. Fator R é o cálculo utilizado para determinar a faixa de tributação de uma empresa optante do Simples Nacional.
 
De acordo com a investigação, o grupo criminoso recebeu, em dez anos, aproximadamente e em valores não corrigidos, R$ 71 milhões em contratos firmados com a quase totalidade dos municípios goianos.
 
A atividade criminosa utilizou de esquema fraudulento denominado Falso Simples, que burlou certames, qualificando-se como empresa de pequeno porte ou microempresa, quando, na verdade, tratava-se de um único grupo empresarial de grande porte.
 
Os investigados criaram inúmeras outras empresas com a finalidade de blindar o patrimônio e ocultar a verdadeira propriedade das pessoas jurídicas. Empresas eram sócias de empresas, que tinham outras empresas como sócias, numa grande teia que leva a um mesmo grupo econômico-familiar.
 
Em inúmeras situações, as pessoas jurídicas possuíam endereço cadastrado semelhante, com o mesmo núcleo familiar nos quadros sociais, evidenciando se tratar de um único conglomerado, que atuava em conjunto no mesmo propósito: fraudar licitações, obter vantagem e ocultar patrimônio.
 
Além de fraudar as licitações, os investigados são suspeitos de praticar falsidades ideológicas, peculato, corrupção, lavagem de capitais, dentre outros crimes. 
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet