Olhar Jurídico

Domingo, 26 de junho de 2022

Notícias | Eleitoral

Justiça Eleitoral

MP sinaliza por mais 90 dias de prazo para investigar Selma em inquérito sobre suposto crime de falsidade ideológica

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

MP sinaliza por mais 90 dias de prazo para investigar Selma em inquérito sobre suposto crime de falsidade ideológica
O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) emitiu manifestação para que seja concedido mais 90 dias para conclusão de investigação em face da senadora cassara, Selma Arruda, juíza aposentada da Sétima Vara Criminal de Cuiabá. Parecer é do dia 18 de fevereiro. Selma Arruda é alvo de inquérito por falsidade ideológica.

Leia também 
PF solicita mais prazo para investigar Selma sobre suposto crime de falsidade ideológica
 
Há suspeita de que a juíza aposentada teria omitido receitas e despesas em sua prestação de contas eleitoral relativa à campanha ao Senado de 2018. Em junho de 2021, a 51ª Zona Eleitoral, por meio do juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira, chegou a homologar arquivamento de outro inquérito em face da juíza aposentada. Procedimento investigou suposto crime de uso de documento falso para dissimular a natureza do recebimento de R$ 1,5 milhão.
 
A Polícia Federal abriu inquérito específico para investigar o crime de falsidade ideológica eleitoral levando em conta que as diligências até então produzidas foram tão somente quanto ao suposto crime de uso de contrato de falso, sobre o qual houve relatório e arquivamento.
 
Cassação
 
Selma Arruda, seu 1º suplente, Gilberto Possamai, e a 2ª suplente da chapa, Clerie Mendes, foram cassados pela prática de abuso de poder econômico e arrecadação ilícita de recursos nas Eleições Gerais de 2018. 
 
No julgamento, A Justiça Eleitoral constatou que Selma Arruda e Gilberto Possamai omitiram fundos à Justiça Eleitoral, que foram aplicados, inclusive, no pagamento de despesas de campanha em período pré-eleitoral. Esses valores representariam 72% do montante arrecadado pela então candidata, o que caracterizaria o abuso do poder econômico e o uso de caixa dois.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet