Olhar Jurídico

Terça-feira, 16 de agosto de 2022

Notícias | Geral

ex-presidente do TJ

Rui Ramos vê necessidade de novos desembargadores, mas cita 'ponto de vista administrativo' em prioridade ao primeiro grau

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Rui Ramos vê necessidade de novos desembargadores, mas cita 'ponto de vista administrativo' em prioridade ao primeiro grau
Ex-presidente do Tribunal de Justiça (TJMT), Rui Ramos Ribeiro acredita ser necessária a convocação de novos desembargadores. Há lei aprovada para o chamamento de nove novos nomes. O magistrado, porém, respeita a decisão da atual gestora, Maria Helena Póvoas, que segue priorizando o primeiro grau.

Leia também 
"Não haverá convocação de novos desembargadores para preenchimento de vagas", reforça Maria Helena


“Não tenho nada a opor à desembargadora, ao que ela mencionou (priorizar o primeiro grau). Primeiro que eu não estou mais na administração, não tenho conhecimento direto e pormenorizado de questões orçamentárias, enfim, de toda perspectiva, da movimentação com relação a processos, recursos. Nós ficamos muito próximos disso na administração. Ela, efetivamente, está muito melhor informada”, explicou Ramos.
 
Conforme o desembargador, o problema de sobrecarga de trabalho é comum a todos os estados. “O brasil inteiro talvez tivesse que ser cinco vezes mais magistrados”, argumentou na sexta-feira (1), em evento de inauguração do novo fórum de Várzea Grande.
 
Rui Ramos, porém, considera que a convocação deve ser examinada pelo ponto de vista administrativo. “Claro que sempre precisa, hoje não é nem home e nem office, é um sistema misto de trabalho, você precisa, o Brasil inteiro precisa. A questão é, quando eu posso dar esse passo?”.
 
“No momento adequado, quando tivermos condições, naturalmente será implementado”, finalizou Ramos.
 
Maria Helena
 
Presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Maria Helena Póvoas segue descartando a possibilidade de convocação de novos desembargadores. Conforme a magistrada informou no fim de junho, sua gestão continua focada na primeira instância.
 
“Enquanto estiver à frente do Poder Judiciário, não haverá convocação de novos desembargadores para preenchimento de vagas. Acho que os que estão aí têm demonstrado que estão dando conta perfeitamente, tanto é verdade que o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) tem referendado isso através dos selos que tem dado, selo ouro ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), pela celeridade nos julgamentos”, salientou Maria Helena em entrevista coletiva na sexta-feira (24).
 
Em janeiro, 25 novos juízes tomaram posse após serem nomeados no Concurso Público para Ingresso na Carreira da Magistratura do Estado.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet