Olhar Jurídico

Quarta-feira, 17 de julho de 2024

Notícias | Eleitoral

ELEIÇÕES 2024

Justiça nega pedido do PL que alegava benefício do PP a Kalil e mantém propaganda

Foto: Rogério Florentino - Olhar Direto

Justiça nega pedido do PL que alegava benefício do PP a Kalil e mantém propaganda
O juiz eleitoral Carlos Roberto Barros de Campos, da 49ª Zona Eleitoral de Várzea Grande, decidiu nesta sexta-feira (14) negar o pedido do Partido Liberal (PL) para excluir a propaganda do Partido Progressistas (PP) das redes sociais. A representação do PL alegava que a propaganda do PP configurava propaganda eleitoral antecipada e invasão de horário destinado a outro candidato.


Leia mais: TRF divulga edital de concurso para cargos de analista e técnico judiciário, com salários entre R$ 8,5 mil e R$ 16 mil
 
No centro da controvérsia estava uma inserção publicada nas redes sociais do deputado estadual Paulo Araújo, presidente do diretório estadual do PP em Mato Grosso. No vídeo de 30 segundos, Paulo Araújo manifesta seu apoio à pré-candidatura à reeleição do prefeito Kalil Baracat (MDB), mencionando a defesa conjunta das pré-candidaturas de Botelho e Kalil em Cuiabá e Várzea Grande.
 
Segundo a decisão do juiz eleitoral, o vídeo contém apenas três segundos com a fala de Paulo Araújo, sendo que os outros 27 segundos são utilizados para outros propósitos. O juiz argumentou que não há proibição expressa quanto ao uso da fala, imagem ou citação de filiado de outro partido em propaganda partidária, desde que não se configure promoção pessoal exclusiva do representado.

Com a decisão, a propaganda do PP permanece válida nas redes sociais, conforme o entendimento inicial do juiz Barros de Campos.

(Com assessoria)
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet