Olhar Jurídico

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Notícias | Administrativo

EXPULSO DA COOPERATIVA

Ex-presidente da Unimed Cuiabá tenta responsabilizar contadora por rombo de R$ 400 milhões, mas perde ação

Foto: Reprodução

Rubens de Oliveira, Ana Paula Parizotto e Eroaldo de Oliveira

Rubens de Oliveira, Ana Paula Parizotto e Eroaldo de Oliveira

O ex-presidente e agora expulso da Unimed Cuiabá, Rubens de Oliveira Júnior,  perdeu a ação que  buscava responsabilizar uma contadora e ex-funcionária pelo rombo contábil de R$400 milhões na cooperativa. O Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRC-MT) arquivou uma representação disciplinar que Rubens movia contra ela. 


Leia mais: Unimed Cuiabá vota pela expulsão de ex-presidente e ex-diretora do quadro de cooperados

O valor milionário foi identificado no Balanço Contábil de 2022, revisado por uma auditoria independente contratada pela atual gestão da Unimed Cuiabá. Conforme a auditoria realizada pela atual gestão também identificou e apontou outros 13 pontos preocupantes ocorridos na gestão de Rubens. 

Após ser derrotado nas urnas e tomar conhecimento de que a atual gestão estava fazendo uma revisão do balanço, Rubens de Oliveira usou como estratégia de defesa imputar a responsabilidade do rombo para a contadora que, à época, era a responsável pelo setor contábil da Unimed Cuiabá.

A profissional, no entanto, esteve em Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Unimed Cuiabá na qual foi reprovado o Balanço Contábil de 2022.  Essa AGO ocorreu no dia 04 de março de 2023, e a contadora afirmou publicamente ter sido pressionada a assinar o balanço contábil referente às contas da gestão de Rubens de 2022. 

Em sua defesa, a profissional teria afirmado ter alertado Rubens que não poderia proceder com o balanço da forma que ele e outros membros da administração da época teriam orientado. A contadora revelou ainda que teria feito um parecer que foi ignorado pelo ex-presidente Rubens de Oliveira.

A contadora demonstrou que a preocupação dos ex-gestores era deixar um balanço contábil positivo a qualquer custo.

Dentre os ex-gestores citados no documento de defesa da ex-contadora da Unimed Cuiabá está a superintendente administrativa-financeira, Ana Paula Parizotto, subordinada ao então CEO da Cooperativa, Eroaldo de Oliveira. Junto com Rubens de Oliveira, ambos são investigados de terem atuado no rombo milionário na contabilidade da Cooperativa.

"Eles não queriam mostrar o rombo nos cofres da Cooperativa, por isso, a vontade incessante da Sra. Ana Paula em deixar as contas pelo menos positivas, bem como a atitude do presidente em não querer que ela fizesse um parecer técnico sobre o déficit, mas tão somente lhe passasse uma lista com informações em mãos de forma informal", revela a contadora nos documentos de defesa.

Arquivamento

O Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRC-MT) arquivou o processo informando que a contadora não cometeu infração ética e justificou que ela cumpriu o que estabelece a Norma Brasileira de Contabilidade (NBC).  

A decisão, portanto, afasta a tese de Rubens de Oliveira Júnior de que a culpa pelo rombo de R$ 400 milhões aos cofres da Unimed Cuiabá seria um erro da contadora. 

Expulso

O ex-presidente da Unimed Cuiabá, Rubens de Oliveira Júnior, e a médica Suzana Aparecida Rodrigues dos Santos Palma, ex-diretora administrativa-financeira, foram eliminados da Cooperativa no mês de maio deste ano por unanimidade. Rubens também foi desligado da Federação Unimed Mato Grosso e das funções que ocupava na Unimed do Brasil.

A representação contra ambos foi feita pela atual Diretoria Executiva da Unimed Cuiabá, que também tomou providências nas esferas cível e criminal.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet