Olhar Jurídico

Quinta-feira, 20 de junho de 2019

Notícias / Geral

Advogado de Riva pede suspeição de juíza e diz que ela tem sentimento de repulsa por seu cliente

Da Redação - Flávia Borges

05 Mar 2015 - 15:54

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Advogado de Riva pede suspeição de juíza e diz que ela tem sentimento de repulsa por seu cliente
O advogado Rodrigo Mudrovitsch, que defende o ex-deputado estadual José Geraldo Riva, protocolou pedido de exceção de suspeição contra a juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda. Conforme Rodrigo Mudrovitsch, a magistrada não possui condições de julgar o caso. “Pedimos que ela (juíza) se afaste do caso já que ao determinar a prisão do ex-deputado ela adiantou juízo pessoal”, afirmou Mudrovitsch, em entrevista ao Olhar Jurídico.

Leia mais
Riva aguarda julgamento de dois pedidos de liberdade; não há previsão de desfecho

Ele explica que a partir de agora, a magistrada tem três dias para se manifestar sobre o pedido ou enviá-lo ao Tribunal de Justiça para apreciação.

No pedido de exceção de suspeição, o advogado afirma que a juíza não está apta a realizar, de forma imparcial, o julgamento da ação penal a que Riva responde e que culminou em sua prisão, pois “possui não apenas sólida inimizade com o excipiente, como também sentimento de repulsa por sua pessoa”.

Segundo o jurista, em pleno sábado à tarde, menos de 24 horas após a prolação da decisão, “totalmente estranha ao Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso, os órgãos investigativos, de forma bastante inusitada e proativa, procederam à execução da prisão preventiva do excipiente”.

Ainda segundo o advogado, o vocabulário utilizado pela magistrada no decreto prisional, “os quais claramente extrapolaram a normalidade de uma decisão dessa estirpe, denotam que além de notório alinhamento com o Ministério Público Estadual, já possui juízo pré-formado acerca da personalidade do excipiente, detendo profunda repulsa à sua pessoa”.

Na decisão, a juíza afirma que “como bem assinalou o Ministério Público, o réu é um dos ícones da corrupção em nosso Estado, mas acrescento: também é um ícone da impunidade, um verdadeiro mau exemplo a todos os cidadãos de bem, que pagam seus impostos, trabalham diuturnamente e não cometem delitos, porque temem as conseqüências”.

José Geraldo Riva foi preso no dia 21 de fevereiro. As acusações que culminaram na prisão dizem respeito a suposto desvio de, pelo menos, R$ 60 milhões dos cofres públicos, envolvendo cinco empresas do ramo de papelaria, todas de 'fachada'. O esquema foi investigado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

A prática reiterada e a gravidade dos crimes praticados, foram os principais argumentos invocados pela juíza Selma Rosane de Arruda para decretar a prisão preventiva, com fundamento na garantia da ordem pública e por conveniência da instrução criminal. Na denúncia (oferecida contra 15 pessoas) se imputa a Riva os crimes de 'formação de quadrilha' e 26 peculatos, em concurso material, dando conta de que, nos últimos anos, os envolvidos teriam fraudado execuções de contratos licitatórios simulando a aquisição de material de expediente e de artigos de informática.

39 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tokanguira
    06 Mar 2015 às 14:54

    Eu não entendi, o que o adv disse". “Pedimos que ela (juíza) se afaste do caso já que ao determinar a prisão do ex-deputado ela adiantou juízo pessoal”, afirmou Mudrovitsch, em entrevista ao Olhar Jurídico". SERÁ QUE EM MT, CUMPRIR A LEI, GERA SUSPEIÇÃO?

  • suzy
    06 Mar 2015 às 13:52

    REPULSA É POUCO QUE NÓS SENTIMOS É ALGO INDESCRETÍVEL. ESTAMOS INDIGNADOS COM TAMANHA FALTA DE RESPEITO COM O POVO CUIABANO ESSE RIVA É TEM QUE FICAR AONDE ESTÁ. TOMAR O GOSTO DO QUE O POVO SOFREU COM TANTA..........

  • suzy
    06 Mar 2015 às 13:46

    esse advogado acha que é a juiza é a culpada, sendo que o desmando foi do cliente dele que está no lugar certo. apoio ,aplaudo e fico feliz com a justiça estar fazendo o que deveria ter sido feito há muito tempo só que tinha fórum previlegiado e isso adiou sua prisão.parabéns a magistrada que demonstrou que a justiça ainda é feita, corajosa e dinâmica ela não se intimida com esse tipo de comentários. Agradeço a DEUS POR TER CAÍDO NA MÃO DESSA MAGISTRADA. AMÉM

  • revoltado
    06 Mar 2015 às 12:27

    quem tem que ser expulso e esses advogados.que esta defendendo um homen que esta respondendo mais de 100 processo,sera que ele e inocento,ou corrupto?

  • Elly Roberto de Oliveira
    06 Mar 2015 às 11:35

    Acho que não ter júri pois 99% dos jurados devem repudia-lo.

  • Thompson
    06 Mar 2015 às 10:26

    Agora não adianta mais limpar o salão. kkkk

  • marcelo favalesso
    06 Mar 2015 às 08:54

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • CALEB MIGUEL DA PAIXAO
    06 Mar 2015 às 08:41

    O sentimento de repulsa não é somente da juíza, mas de toda a população cuiabana!!

  • edson
    06 Mar 2015 às 08:25

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • rodrigo
    06 Mar 2015 às 08:09

    Sabem qual é o nome disso??? DESESPERO!!!! Por que não pediram isso antes??? A casa caiu, Riva. MT inteiro sente repulsa desse senhor, com excessão dos que se beneficiaram enquanto ele estava no poder.

Sitevip Internet