Olhar Jurídico

Segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Notícias / Criminal

execução penal

Mutirão carcerário do CNJ deve analisar cerca de 10 mil processos de detentos em Mato Grosso

De Brasília - Vinícius Tavares

08 Ago 2014 - 14:30

Foto: Reprodução

Mutirão vai até o dia 29 de agosto

Mutirão vai até o dia 29 de agosto

Aberto na última segunda-feira (4.8), em Mato Grosso, o Mutirão Carcerário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem como meta analisar cerca de 10 mil processos de presos condenados e provisórios (ainda não julgados) para identificação dos que estão em condições de receber benefícios previstos na Lei de Execução Penal.

Realizado em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT), o trabalho tem conclusão prevista para 29 de agosto e inclui também inspeções em unidades prisionais do Estado para verificação das condições de encarceramento.

Leia mais
Mutirão carcerário organizado pelo CNJ começa em agosto em Mato Grosso
Éder Moraes chega para depor sem algemas e tem três derrotas na Justiça Federal; veja fotos

Aberto durante solenidade no Fórum da Comarca de Cuiabá, o mutirão também conta com a participação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso.

O trabalho é coordenado pelo juiz Albino Coimbra Neto, do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJMS), designado pelo CNJ. A execução é de responsabilidade do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF), do CNJ.

A primeira inspeção ocorreu nesta quarta-feira (6.8), na Penitenciária Central do Estado (PCE), seguida de outra, no Presídio Feminino Ana Maria do Couto May, ambos na capital Cuiabá.

Ainda serão inspecionados o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), as Cadeias Públicas de Várzea Grande e Cáceres e as unidades penitenciárias das Comarcas de Sinop, Água Boa, Barra do Garças e Rondonópolis.

Ao final do mutirão, o CNJ vai elaborar relatório, a ser entregue a autoridades locais, com recomendações de melhorias para o Sistema da Justiça Criminal no Estado. (Com informações do TJMT e do CNJ)
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui
Sitevip Internet