Olhar Jurídico

Terça-feira, 23 de abril de 2019

Notícias / Consumidor

Supermercado Extra é condenado a pagar R$ 25 mil por sequestro de cliente

Da Redação - Arthur Santos da Silva

20 Set 2014 - 09:32

Supermercado Extra é condenado a pagar R$ 25 mil por sequestro de cliente
Em decisão do juiz da Sétima Vara Cível de Cuiabá, Yale Sabo Mendes, a Companhia Brasileira de Distribuição – Hipermercado Extra – foi condenada a pagar R$ 25 mil a título de danos morais e materiais a um cliente que sofreu seqüestro relâmpago no estacionamento do supermercado.

Leia mais 
Justiça barra publicação de pesquisa de Pedro Taques do Instituto Vetor


O caso aconteceu no dia 5 de dezembro de 2012 quando o cliente se dirigia ao veículo para guardar as compras. Nesse momento, ele foi abordado por um casal, armado, que lhe obrigou a entrar no carro. Ele foi encapuzado e teve as mãos amarradas. A vítima foi abandonada próximo à localidade chamada de “Coxipó Mirim”.

Os assaltantes deixaram a vítima e levaram o carro, as compras, um notebook da marca Toshiba, dois óculos de sol e um aparelho multimídia original. Apenas o carro foi recuperado com diversas avarias que geraram um prejuízo de mais de R$ 16 mil. No total, o cliente contabiliza que entre os danos do veículo e os objetos roubados a perda foi de R$ 30 mil.

Em busca de defesa, o supermercado alegou que “tal fato ocorreu por culpa exclusiva da falta de segurança pública do Estado, e sequer a ré ou seus prepostos atuaram ou mesmo colaboraram para que acontecesse o sinistro”.

Para o magistrado, se o supermercado mantém as cercas, dando aparência de que continua realizando privativamente o estacionamento, “permanece o cliente na crença falsa de gozar de maior comodidade e segurança, em regra, oferecida no sentido de captar a clientela. Dessa forma, por vezes, influencia na escolha do consumidor, constituindo um diferencial a ensejar benefício econômico direto ao fornecedor, motivo pelo qual justifica-se que arque com o ônus correlato”.

Leia mais notícias do Olhar Jurídico


0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet