Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Cidades

Estado para fornecimento de medicamento e criança morre

De Sinop - Alexandre Alves

20 Jul 2010 - 22:50

Matheus Modesto, de 13 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (19), em Sinop, após o Estado ter deixado de fornecer a ele medicamento de alto custo. A criança tinha uma doença genética chamada Niemann-pick tipo C, causada por falha no transporte intracelular de colesterol que se acumulava no organismo e causava graves danos neurológicos.

Desde 2008, por força de liminar, a Secretaria de Estado de Saúde disponibilizava para a família de Matheus um remédio importado, denominado Miglustat, ao custo de R$ 28 mil por caixa. Todavia, há dois meses o Estado deixou de fornecer o remédio. 

De acordo com a mãe da criança, Márcia Regina Modesto, assim que o menino parou de tomar o medicamento começou a sofrer, sentir fraqueza por todo o corpo e feio a falecer. A informação é da TV Centro América

Márcia Modesto disse que a doença começou a evoluir após a suspensão da medicação, com agravamento nas três últimas semanas. Desesperada, Márcia procurou a Secretaria de Saúde de Sinop e foi informada que o remédio estava em falta em todo o Estado.

Contudo, a mãe procurou o fornecedor do produto e foi informada que a Secretaria de Estado de Saúde não havia mais feito o pedido e que o Miglustat estaria disponível. Por meio de nota, a Secretaria de Estado disse que solicitou o prontuário da criança para analisar se a falta do remédio foi a causa da morte.

Nesta terça-feira, o secretário estadual de Saúde, Augusto Amaral, só não foi preso por descumprir determinação judicial por causa de intervenção do procurador-geral do Estado, Dorgival Veras Gadelha. Um oficial de Justiça foi até a Secretaria com ordem de prisão, já que o Estado estaria descumprindo decisão de disponibilizar um leito para um paciente de Cuiabá.

Porém, o oficial voltou sem prender o secretário, já que o leito teria sido disponibilizado hoje à tarde, conforme afirma o procurador Dorgival.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Andreza Aline Silva Souza
    17 Jun 2017 às 03:42

    Gente pela amor de Deus ,o que acontece com o nosso dinheiro, que teria que ir pra área da saúde, medicamentos,vai continuar morrendo pacientes por falta de medicação , cadê o nosso dinheiro que deve ser gasto com saúde , hospitais e etc.Inconformada meu filho foi vítima dessa negligência,desse descaso e veio óbito, revoltante!!!

  • elton
    21 Jul 2010 às 09:41

    Enquanto a maioria dos politicos estão preocupados com suas reeleições, tem pessoas morendo nas fila de espera, isso é um absurdo!!!!!!!!! ACORDA CUIABÁ!!!!!!!!!! TEMOS QUE FAZER UMA REVOLUÇÃO E TROCAR TODOS ESSES POLITICOS!!!!!!!, Tem alguns deputados que só estão no cargo por alguma liminar, esse morrem de medo de perder o cargo, porque se perder o cargo politico ai vai perder o benificio de nao poder ser julgado!!!!!!! ACORDA CUIABÁ!!!!!!!!!! enquanto o população não saber votar CUIABÀ quer dizer o BRASIL vai continuar sofrendo. é só fazer a conta!!!!!! como que uma pessoa vai gastar mais de UM MILHÃO DE REAIS para ser eleito? para depois ganhar um salario de R$ 25,000,00 por mes em 4 anos ele não vai recuperar o que gastou: porque será que eles se matam para poder entrar nesse meio? ACORDA CUIABÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Eliza
    21 Jul 2010 às 09:26

    Pois é ainda tem gente defendendo esse pessoal que está aí a turma da botina, em que situação chegamos, é porque não são eles que precisando de hospitais e escola coisas básicas e não pintura em prédios ou asfalto, necessários sim mas não imprescindível de que adianta ter uma cidade bonita se o povo tá morrendo na porta dos hospitais. Gente por favor quando forem votar lembrem-se destes e outros casos de abandono destes polítiqueiros.

  • Zé Modesto
    21 Jul 2010 às 08:47

    Lamentável, o Brasil continua sendo um país desumano.

  • Maria
    21 Jul 2010 às 08:36

    A que ponto chegamos, precisarmos de liminar para ver um paciente ter direito a um leito em um hospital publico, sendo que pagos impostos até mesmo para respirar. Ser responsavel pela morte de alguem não é só quem faz o uso do revolver ou arma branca. Essas atitudes como a do secretario de saude faz dele total responsavel por decidir se alguem vive ou morre. no ponto de Vista este senhor esta brincando de Deus. Que vergonha...