Olhar Direto

Sábado, 15 de maio de 2021

Notícias | Política BR

Roberto Jefferson diz que objetivo da Castelo de Areia é amordaçar oposição

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson (RJ), afirmou nesta terça-feira que a Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, tinha o objetivo de intimidar as investigações do TCU (Tribunal de Contas da União) e "amordaçar" líderes dos dois maiores partidos da oposição, o DEM e o PSDB.

Na avaliação do presidente do PTB, ao excluir do relatório final das investigações supostas doações ilegais feitas ao PT, PTB e PV pela construtora Camargo Corrêa, a Polícia Federal tornou a operação política.

"A operação teve objetivo claro de amordaçar o TCU e amordaçar os principais lideres dos dois maiores partidos da oposição. Não tenho dúvida de que a operação foi política. Se a Polícia Federal queria saber relações da Camargo Corrêa, não precisava invadir a vida privada dos diretores e secretários da empresa, poderia ter ido a lista de doação da Justiça Eleitoral. A Polícia Federal errou gravemente", afirmou.

Para Jefferson, a discussão em torno de possíveis doações ilegais para partidos políticos demonstra que o foco da investigação foi desviado. "A discussão perdeu o foco. A coisa mais importante que precisa ser esclarecida é se houve superfaturamento na construção da refinaria de petróleo, em Pernambuco. Se houve superfaturamento de R$ 9 bilhões e estamos discutindo doação de R$ 30 mil ou R$ 40 mil. Isso é cortina de fumaça. Tudo que se joga no Congresso fica. A ação do Executivo é que precisa ser investigada", disse.

Jefferson negou que a direção nacional do PTB tinha conhecimento de alguma doação da Camargo Corrêa no valor de R$ 25 mil para um dos diretórios regionais. "Eu me inteirei disso hoje pela manhã e isso não passou pela direção do partido", disse.

Segundo reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, os repasses para os três partidos (PT, PV e PTB) teriam aparecido numa correspondência eletrônica entre um dos diretores da construtora, Fernando Dias Gomes, e Luiz Henrique, tido como representante da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo). No relatório que encaminhou à Justiça, a polícia, no entanto, elencou como possíveis alvos de doações ilegais pela Camargo Corrêa: PSDB, DEM, PPS, PMDB, PSB, PDT e PP.

De acordo ainda com o documento, ao lado de cada partido foi relacionado um valor: "PSDB Comitê Financeiro de São José dos Campos, R$ 25 mil; PSDB, R$ 25 mil; PT Diretório Regional, R$ 25 mil; PTB Comitê Financeiro Municipal, R$ 25 mil; e PV Comitê Financeiro Municipal, R$ 25 mil".

Em nota divulgada nesta terça-feira, a Polícia Federal afirma que o foco da Operação Castelo de Areia são crimes financeiros e lavagem de dinheiro e não financiamento de campanhas políticas. A PF afirma que o tema financiamento de campanhas veio à tona em monitoramentos na época das eleições de 2008. "As conversas monitoradas não falam especificamente de um ou outro partido, mas de vários deles, portanto sem indícios de favorecimento dirigido."
Sitevip Internet