Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de julho de 2019

Notícias / Cidades

MPE tenta anular soltura de 40 ladrões presos em operação

Da Redação - RD

03 Jan 2012 - 08:52

O Ministério Público Estadual (MPE) vai tentar reverter na Justiça a liberação dos cerca de 40 ladrões presos durante a operação ‘Sétimo Mandamento’, no último dia 14. Os ladrões foram liberados após o desembargador Pedro Sakamoto estender a eles o benefício de um habeas corpus que havia sido concedido a um dos acusados.

O desembargador considerou que a prisão preventiva dos ladrões não tinha validade porque o juiz do caso declinou competência do processo e o passou para a Vara do Crime Organizado. Contudo, o promotor afirma que ainda não havia no início das investigações que levaram à operação indícios de que o bando de ladrões era uma organização criminosa.

“Nós não temos bola de cristal para adivinhar que uma investigação de alguns integrantes de uma simples quadrilha pudesse desaguar numa intrincada rede de malfeitores que aterrorizam a sociedade cuiabana”, contesta o MPE, apontando que somente após sua denúncia a Justiça compreendeu a envergadura do caso.
“O juiz da Vara Especializada aceitou a competência depois de analisar o material produzido. Isso é comum, pois muitas vezes se inicia uma investigação pensando tratar-se de crime organizado, e ao final chega-se a conclusão diversa ou vice-versa. O que não é comum é esse tipo de decisão soltando todos os bandidos sob o entendimento de que um juiz criminal é absolutamente incompetente para analisar matéria criminal afeita a outra Vara Criminal. O que para todo mundo é incompetência relativa, para o desembargador trata-se de incompetência absoluta, como se o juiz criminal tivesse competência cível. Bastaria ao desembargador analisar a natureza das coisas para decidir em benefício da população".

O MPE ainda reforçou que lamenta a decisão da Justiça que soltou os ladrões numa declaração contundente a respeito do estado de insegurança pública em Cuiabá.

“É lamentável esse tipo de decisão. Sentimos muito, pois a população cuiabana continuará desprotegida, vítima de toda essa situação, terreno fértil para a proliferação de bandidos. Não é a toa que Cuiabá é considerada uma das Capitais mais violentas do Brasil. A decisão serve para a coletividade avaliar que a responsabilidade pela onda de criminalidade não é só dos órgãos de segurança pública".

A operação 'Sétimo Mandamento' desmantelou um esquema de assaltos a residências e estabelecimentos comerciais e de roubos do tipo “saidinha de banco”. O bando foi denunciado e responde por formação de quadrilha armada, roubo qualificado, tentativa de latrocínio, furto qualificado, receptação e falsa identidade.

Com informações da assessoria de imprensa do MPE

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rogério
    03 Jan 2012 às 13:30

    E parabens ao(s) nobre(s) advogados sem etica...sem moral.....vagabundos que so pensam em $$$$...quem defende bandido bandido tb é...."diga-me com quem andas e te direi quem és"...

  • Leitor
    03 Jan 2012 às 12:05

    Estão martelando o cara errado. Pelo que eu li, o Des. Pedro Sakamoto apenas estendeu o benefício concedido a um dos réus em outro habeas corpus, cuja decisão foi proferida por outro Desembargador. Qualquer acadêmico sabe que se foi proferida decisão, sem carater pessoal, a um corréu ela pode ser aproveitada pelos outros. Assim, não conheço o DEs. Sakamoto, mas estão atacando o cara errado.

  • peixotense
    03 Jan 2012 às 12:04

    Caro Pinguim seu lugar não é aq em MT, vs deve ser um funcionário fantasma do Des PSK$$, q divide o seu $$$$ com ele. seu PS. Infeliz.

  • CARA DE CORUJA
    03 Jan 2012 às 11:49

    Agora deu!!!! tá parecendo aquela historinha de criança " TJ E OS 40 LADRÕES" UHUHUHUHUHU

  • Pinguins de Madagascar
    03 Jan 2012 às 11:49

    Será que esse promotor do gaeco não fez direito, será que comprou o certificado, ou será que, ele não estudou sobre competência, será que ele não sabe que o juizo não competente, como o próprio nome já diz, não sendo ele competente seus atos serão anulados, que burro da zero pra ele. Infelizmente o Des. está certo, infelizmente tem isso nas nossas leis e no nosso "direito". Apesar de que eu tenho a concepção que bandido bom é bandido morto.

  • juca
    03 Jan 2012 às 11:12

    será que esse desembargador já foi roubado?

  • peixotense
    03 Jan 2012 às 11:01

    É lamentável a atitude do "nobre" desembargador, lembro-me qd o Sr deu liberdade aos assaltantes de bco em 2001, preso pela PM (CIOE), os policiais passaram mtos dias no mato a procura dos mesmo, foi um serviço em vão. Sr é conhecido no meio jurídico como Pedro Saka$$$, infelizmente corremos o risco de sermos assaltados ou mortos por eles, graças ao Sr, se eu fosse o Gov aposentava o Sr e mandava morar lá no Iraque.

  • Renato da Silva
    03 Jan 2012 às 10:50

    Desmbargador ganha para deixar bandidos soltos, achei que quem paga por segurança que é o povo, devia ao menos ter uma justiça que se preocupe em deixar esses bandidos presos na cadeia e não libera-los

  • Quem sabe....
    03 Jan 2012 às 09:45

    Essa briginha de MPE e Judiciário não é de hoje e ainda vai longe.... "profissionalismo" gente.... afinal vcs ganham muito bem pra ficar um querendo queimar o outro..... Que Deus nos ajude....

  • Quem sabe....
    03 Jan 2012 às 09:42

    Dá nada não...se roubar a culpa cai na PM mesmo...ninguém questiona o Judiciário e o Ministério Público.... Agora venhamos e convenhamos...amadorismo puro do MPE.... dar uma culher de chá dessas pro judiciário fazer essa lambança.... O Povo agradeçe... Que Deus nos ajude.....

Sitevip Internet