Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de julho de 2021

Notícias | Política MT

NO CONGRESSO

Taques e Campos concordam com prorrogação de CPMI do Cachoeira

Foto: Reprodução

Taques e Campos concordam com prorrogação de CPMI do Cachoeira
O senador mato-grossense Pedro Taques (PDT) assinou ofício apresentado pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS) para que seja prorrogado o prazo para realização das atividades da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, instalada no Congresso Nacional. O ofício foi enviado ao senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da comissão que investiga as relações do contraventor Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários.

Inicialmente, a CPMI tem prazo para funcionar até o dia 4 de novembro, mas pode ser prorrogada por mais 180 dias. Em sessão da comissão na tarde desta terça-feira (9), Taques declarou entender que “a sociedade não pode ser enganada”, o que, segundo ele, pode ocorrer caso a comissão seja encerrada. "Precisamos seguir o caminho do dinheiro e chegar naqueles que receberam dinheiro. Sabemos que o dinheiro saiu do Tesouro nacional e foi para a Delta, que pagou empresas laranjas já identificadas".

Requerimentos envolvendo Silval e Pagot continuam na lista da CPMI

A possibilidade de prorrogação dos trabalhos da CPMI deve ser debatida em reunião de líderes na próxima terça-feira (16). O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) comunicou hoje que já iniciou a coleta de assinaturas para apresentação de um requerimento com esse objetivo. A comissão tem mais de 500 requerimentos para serem apreciados. 

Integrante da CPMI, o senador Jayme Campos (DEM) também concorda com a prorrogação, segundo a assessoria dele. No entanto, ele deve aparecer no Congresso Nacional apenas na semana que vem. 

Wellington Fagundes

Em depoimento prestado à CPMI no último dia 28, o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit), Luiz Antonio Pagot, afirmou que o deputado federal Wellington Fagundes (PR-MT) atuava de forma zelosa em relação às obras do estado e também às conduzidas pela construtora Delta.

Naquela data, Randolfe Rodrigues afirmou ao Olhar Direto que providenciaria um requerimento solicitando que Fagundes comparecesse à comissão. Hoje, Rodrigues disse não ter descartado a possibilidade de apresentar o requerimento, no entanto, a prorrogação do prazo de existência da CPMI é imprescindível no momento. Ainda segundo ele, também é necessário avançar com os dados já colhidos pela comissão.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet