Olhar Direto

Terça-feira, 19 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Pedro Henry chega a Cuiabá algemado e cumpre pena na Polinter, mas tem emprego e visitas asseguradas

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco e Priscilla Silva

27 Dez 2013 - 16:37

Foto: Fotos Priscila Silva / Olhar Direto

Pedro Henry chega a Cuiabá algemado e cumpre pena na Polinter, mas tem emprego e visitas asseguradas
Condenado no processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-deputado federal Pedro Henry (PP) desembarcou às 12h58, no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, em vôo comercial da Gol Linhas Aéreas, para iniciar o cumprimento de sua pena de sete anos e dois meses. De camisa xadrez e calça jeans, ele chegou algemado e foi levado até a saída do aeroporto num microônibus da Infraero, onde foi entregue para a equipe do Sistema Prisional de Mato Grosso.

Leia mais:Henry já está em Cuiabá e faz exame de corpo de delito antes de ser levado para unidade prisional
Transferência de Pedro Henry para Cuiabá é adiada

Depois de passar por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), ele foi levado para o Anexo I da Penitenciária Central do Estado, antigo Paschoal Ramos, que funciona nos fundos da Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Vigilância e Capturas (Polinter), no bairro Centro América, região Norte da Capital. No IML, alguns agentes carcerários provocaram a ira dos repórteres fotográficos e cinematográficos, porque se esforçaram ao máximo, supostamente a pedido dos advogados de defesa de Henry, para não permitir imagens do reeducando.

No regime semi-aberto, Pedro Henry vai ficar livre das 6 horas às 19 horas para estudar e trabalhar, mas, obrigatoriamente, deve retornar para dormir atrás das grades, todos os dias, na cela em que divide com mais três colegas – todos com nível superior. Para cada três dias trabalhados, um dia é reduzido na pena. E, para cada seis dias de estudo, reduz-se um.

“Ele é um profissional [médico] muito respeitado. Por isso, possui três propostas de trabalho, além de uma do Hospital Santa Rosa, com salário de R$ 7,5 mil, já protocolizada no Supremo”, explicou o advogado José Antônio Alvarez, responsável pela defesa de Henry. Ele observou que o início do trabalho de Henry depende de autorização do juiz Geraldo Fidélis, titular da Vara de Execuções Penais da Comarca de Cuiabá.

No Anexo I do Paschoal Ramos, Pedro Henry pode sair a partir das 6 horas, para trabalhar ou estudar. E retornar antes das 19 horas. Não é permitido uso de celular na cadeia, mas, fora dela, tem uma vida normal. É proibido se ausentar da cidade.

Todas as quartas-feiras e domingos, a partir das 8 horas, pode receber visitas de familiares. “É importante que haja contato com a família, porque acelera a ressocialização e o contato com o mundo exterior”, pontuou.

O pedido de autorização para trabalho foi feito ao ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF, mas quem defere ou não é o juiz da Vara de Execuções Penais de Cuiabá. Caso o planejamento da defesa seja executado à risca, Henry ganha liberdade condicional no primeiro semestre de 2015.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pedro Paulo
    29 Dez 2013 às 11:30

    Deveria ser contratado para o D. Financeiro do escritorio Jose Antonio Alvares - Advocacia,no ... do povo e refresco, ne, ze!!!???

  • paulao cacetada
    28 Dez 2013 às 18:09

    queria ser policial motorista desta viatura pra ter o prazer de levar pra prisão esse cabrinha aí llkkkkkkk, mas uma pena que este xilindró é só regalia,,,

  • kamila
    28 Dez 2013 às 15:54

    CONCORDO COM VC MARGARETH: ELE TA NO PARAISO, NESTA PRISÃO QUE ELE VEIO FICAR, ALI É SÓ REGALIA, EU JA ADENTREI PARA VISITA, NÃO É POR ACASO QUE TROUXERAM ELE PRA FICAR AQUI, ALI É SÓ PRA DISFARCE MESMO..PORQUE O POVO QUE CAI NA GARRA DELES TA LASCADO, QUANTA INJUSTIÇA, DEUS MEU, DEUS MEU, SÓ ESPERANDO PELA JUSTIÇA DIVINA MESMO..

  • Abel
    28 Dez 2013 às 15:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • totó
    28 Dez 2013 às 12:47

    O ladrão de galinha apanha até perder as penas e vai para cadeia de camburão,porque que o ladrao do dono das galinhas não apanha e vai para polinter com as algemas cobertas e de onibus com ar condicionado e seguranças a bordo.

  • kamila
    28 Dez 2013 às 11:00

    QUE PAGUE O PREÇO POR ROUBAR TANTO DINHEIRO DA SAÚDE. QUE SIRVA DE LIÇÃO PARA OS POLITICOS CORRUPTOS. SÓ NÃO CONSIGO ENTENDER POR QUE TANTA DESCRIÇÃO EM MONSTRA-LO ALGEMADO.

  • maiconsouza
    27 Dez 2013 às 23:56

    E NINGUEM CITA QUE ELE FOI SECRETÁRIO DE SAÚDE DO GOVERNO SILVAL.... É ESTE TIPO DE GENTE QUE COMPÔS ESTE DESGOVERNO QUE AI ESTÁ...

  • Diogo F
    27 Dez 2013 às 22:04

    Que prazer, que satisfação em receber esse senhor algemado em Cuiabá! Tomara q não tenha ar condicionado na polinter!

  • JOSE
    27 Dez 2013 às 21:46

    CARO AMIGO, NÃO SOU AGENTE CARCERÁRIO E SIM AGENTE PENITENCIÁRIO. ASSIM COMO O SENHOR TEM GARANTIAS CONSTITUCIONAIS DE LEVAR INFORMAÇÕES O CUSTODIADO TEM A GARANTIA CONSTITUCIONAIS DE PRESERVAÇÃO DE SUA IMAGEM. APENAS FIZ O MEU TRABALHO, PROCURE FAZER O SEU E LARGA DE FAZER ATAQUES LEVIANOS.

  • bidu
    27 Dez 2013 às 17:46

    Porque toda essa regalia se ele é um réu comum? Tem que cumprir pena como todo mundo, não existe ladão melhor ou pior, a lei é igual para todos.

Sitevip Internet