Olhar Direto

Sexta-feira, 18 de junho de 2021

Notícias | Cidades

Esquema em MT

Coronel da PM acusado de práticas de grilagem consegue liberdade

O ex-comandante regional da Polícia Militar de Tangará da Serra, Elierson Metello de Siqueira, acusado de participar de um esquema de grilagem de terra da União e preso há uma semana, durante a Operação Pluma, conseguiu liberdade. O juiz do Tribunal Regional Federal, Pedro Braga, acatou o pedido do advogado Valber Melo e concedeu o hábeas corpus nesta sexta-feira. Metello vinha atuando na regional de Sinop e estava preso no Comando Regional da PM, em Várzea Grande.

No entanto, o ex-comandante conseguiu duas decisões favoráveis a sua liberdade. A outra, foi concedida pelo juiz da Primeira Vara Federal, Marcel Perez, que também deferiu a liminar interposta pela defesa. Com isso, dos 16 presos na operação, deflagrada pela Polícia Federal em Mato Grosso e outros estados, três já conseguiram a soltura.

As investigações desbarataram um esquema de venda de terra ilegal no Vale do Araguaia. De acordo com o inquérito da PF, Metello é responsável por dar respaldo à ação dos subordinados mediante pagamento. As investigações revelam que o patrimônio do coronel não é compatível com seu salário como imóveis em Barra do Garças, duas casas em bairros nobres de Cuiabá, e diversos carros de ‘luxo’.

Na época em que atuou no Vale do Araguaia como comandante, ele teria disponibilizado policiais, para serviço de vigilância à diversas casas comerciais, dentre as quais a Skol, Posto do Alencar (seu sogro) e Cartório do 1º Ofício, mediante pagamento dos empresários. Acusado também de desviar parte dos recursos destinados a Polícia Militar, inclusive no caso de combustíveis.
Sitevip Internet