Olhar Direto

Quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Silval Barbosa desafia sucessores a “fazerem mais” do que seu governo e diz que não quis contaminar debate eleitoral

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

08 Out 2014 - 11:16

Foto: Wesley Santiago / Olhar Direto

Silval Barbosa desafia sucessores a “fazerem mais” do que seu governo e diz que não quis contaminar debate eleitoral
Investimentos de mais de R$ 5 bilhões em infraestrutura, maior volume de contratação de servidores públicos concursados e mudança completa no modal de transporte coletivo da região metropolitana de Cuiabá estão entre os legados que o governador Silval Barbosa (PMDB) crê estar deixando para o Mato Grosso. “Eu não quis ficar respondendo acusações feitas durante a campanha, para não ‘contaminar’ com o período eleitoral. Mas eu desafio meus sucessores a fazerem pelo menos 50% do que eu fiz. Está lançado o desafio”, disse Silval, após participar do primeiro teste do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

Silval afirma que nada tem a esconder e assegura que equipe de transição do sucessor tem todos os dados à disposição
Ofensas são deixadas no passado e primeiro encontro de Silval e Taques tenta passar interesse em governabilidade
 
Silval Barbosa afirmou que, graças à coragem de seu governo, Cuiabá foi a melhor sede da Copa do Mundo da Fifa 2014. E, de quebra, a Arena Pantanal foi considerada uma das melhores do mundo. “Investimos pesadamente em obras que ficarão para a posteridade. Vão estar servindo a população sempre”, assegurou, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Num rápido balanço, Silval citou a pavimentação de 1,8 mil quilômetros de rodovias, construção de três pontes sobre o rio Cuiabá e cinco pontes sobre o rio Coxipó, ampliação e modernização 30 quilômetros de avenidas – com viadutos e trincheiras, além do VLT como principal modal de transporte urbano.

Sobre as declarações do governador eleito José Pedro Taques (PDT) de que “não vai jogar nada para baixo do tapete” e irá auditar as obras da Copa do Pantanal e do MT Integrado, Barbosa disse que não há necessidade. Isso porque existem auditorias permanentes do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal de Contas da União (TCU), Auditoria Geral do Estado (AGE), Ministério Público Estadual e comissões de Fiscalização e Acompanhamento na Assembleia Legislativa, Câmara de Cuiabá e Câmara de Várzea Grande.  
 
“Tive um governo atípico, por causa do evento com prazo determinado: a Copa do Mundo. Eu não pude entrar nessa discussão durante as eleições, porque ‘contamina’ a razão verdadeira, quando ocorre no período eleitoral”, argumentou ele. “A vida das pessoas vai mudar e muito, para melhor, quando o VLT estiver funcionando. Mas não dava para mostrar isso na campanha, já que à oposição interessava focar em uma falha individual e ignorar 50 acertos. Com o VLT, o trabalhador vai levar menos de 40 minutos para ir do Aeroporto até o Centro Político e Administrativo”, apontou Silval.

O governador não quis fazer previsão sobre possiveis inaugurações de VLT, trincheiras e vidadutos, citando que o início do período de chuvas impossibilita fazer previsões. (Colaborou Wesley Santiago).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet