Olhar Direto

Quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Silval determina que somente documentos oficiais devem ser passados à equipe de transição de Taques

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

14 Out 2014 - 19:00

Foto: Josi Pettengill / Secom-MT

Silval determina que somente documentos oficiais devem ser passados à equipe de transição de Taques
O levantamento minucioso sobre as atividades de cada área, inclusive com execução orçamentária, dívidas e número de servidores, entre outros itens, está entre as principais determinações do governador Silval Barbosa (PMDB) para o secretariado e dirigentes de órgãos da administração direta e indireta. Ele tratou de deixar claro que, dos 6,15 mil cargos comissionados, mais de quatro mil são ocupados por servidores efetivos. Foi uma forma de Barbosa desmentir a tese massificada durante a campanha eleitoral de que o governo possuía “mais de 12 mil cargos em comissão”.
 
Silval afirma que nada tem a esconder e assegura que equipe de transição do sucessor tem todos os dados à disposição
 
Silval Barbosa determinou que todos os documentos a serem repassados para a Comissão de Transição do governador eleito José Pedro Taques (PDT) seja todos formalizados. Ou seja: em forma de ofício do secretário Pedro Nadaf, da Casa Civil, para o coordenador da comissão, prefeito Otaviano Pivetta (PDT), de Lucas do Rio Verde.  
 
“É uma questão bem simples: apenas para unificar linguagem e evitar disse-que-me-disse. A organização é essencial para que se colham bons frutos”, pontuou ele. O governador negou que vá deixar déficit no Executivo, seja orçamentário ou financeiro. "Isso é impossível. Estamos cumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal", resumiu Barbosa, que foi para Brasília consolidar a liberação de recursos do Programa de Pontes de Concreto (Pro Concreto) e o MT Integrado.
 
A reunião contou com todos os secretários de Estado, exceto Jorge Lafetá (Saúde), que está em Brasília; e Fabiano Prates (Cultura), cujo apartamento dos pais está situado em um prédio que pegou fogo, no bairro Araés – área central de Cuiabá.
 
Silval exigiu a todos uma atenção especial para os últimos dois meses e meio do seu Governo e também tratou do processo de transição.
 
Silval orientou que todos os secretários contribuam com o secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, que é quem coordena o processo pelo atual governo. “Pedi empenho para a transição, para que todos os números sejam disponibilizados, para que o próximo governo faça o seu planejamento”, disse.
 
Nadaf afirmou que a principal determinação passada foi a de ter transparência e que o Estado não deve parar durante o processo de transição.

Ochefe da Casa Civil explicou que  irá coordenador todas as ações, para evitar interferências extraoficiais no processo. O Governo está terminando de elaborar um decreto sobre a transição, que deve ser publicado nos próximos dias. 

Nesta segunda-feira, Pedro Nadaf se reuniu com Otaviano Pivetta, no Palácio Paiaugás, para discutir linhas gerais da transição de Silval para Pedro Taques, que toma posse em 1 de janeiro de 2015.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet