Olhar Direto

Quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Silval afirma que Taques precisa conversar com servidores e Assembleia para extinguir secretarias

Da Redação - Jardel P. Arruda

16 Out 2014 - 08:44

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Silval afirma que Taques precisa conversar com servidores e Assembleia para extinguir secretarias
Um balanço positivo com a cabeça, seguido de um negativo, de olhos arregalados e lábios apertados. Esse conjunto de expressões faciais foi toda a opinião que o governador Silval Barbosa (PMDB) se permitiu sobre a proposta de nova estrutura administrativa apresentada pela equipe de transição do governador eleito Pedro Taques (PDT), na qual está prevista uma redução de 19 para 12 secretarias de Estado.

Coordenador da transição de Mauro fica com Sefaz na transição de Pedro

“Ele precisa é conversar isso com os servidores, com a Assembleia Legislativas. Eles é que precisam aceitar isso”, afirmou Barbosa, durante o lançamento do livro Recuperar, na noite de quarta-feira (15), no qual são listados todos os avanços conquistados pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, criada por ele após ser separada da Segurança Pública na gestão anterior, e com a previsão de passar pelo caminho inverso na nova gestão

O peemedebista viu o candidato do seu grupo, Lúdio Cabral (PT), ser derrotado nas eleições para sucedê-lo pelo opositor Pedro Taques, e agora acompanha uma transição de governo com a possibilidade de grandes mudanças administrativas. “Eu não posso emitir opinião sobre isso. É algo que cabe inteiramente ao novo gestor. Ele precisa governar de acordo com suas convicções. Se ele passou a campanha toda em enxugar a máquina, como vou emitir minha opinião?”, ponderou Silval Barbosa.

Luz própria

Luiz Antonio Poças Carvalho não sabe se fusão de Sejudh com Sesp será bem recebida

Quem também lembrou da necessidade de se conversar com os servidores para garantir uma alteração pacífica na estrutura administrativa foi o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Luiz Antonio Poças Carvalho. Sem entrar no mérito de se a mudança será positiva ou negativa, ele ressaltou a possibilidade dos funcionários irem contra a proposta.

“A Sejudh tem ‘luz própria’. Não sei se os servidores da Sejudh vão aceitar isso. Hoje eles são diferenciados, são servidores de elite, que passam por uma capacitação continua. São servidores conscientes de suas responsabilidades no processo de ressocialização”, analisou Poças Carvalho.

Maquina enxuta

O prefeito afastado de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), coordenador geral da equipe de transição do governador Pedro Taques , apresentou à imprensa um novo modelo de estrutura administrativa que prevê a redução de 19 para 12 secretarias de Estado. A Secretaria de Administração e Secretaria Extraordinária da Copa são extintas nesse projeto.

Comunicação é fundida com a Casa Civil, enquanto Justiça e Direitos Humanos com a Segurança Pública. E várias outras pastas, como Agricultura, Indústria e Comércio, perdem o status de secretarias e passam a serem superintendências. No caso de Cultura e Turismo, além de deixarem de ser parte do primeiro escalão administrativo, são fundidas em uma única unidade.

O governador eleito Pedro Taques ainda não recebeu esse novo modelo da comissão de transição para decidir se irá aprovar essas mudanças, mas Pivetta está confiante que pouca coisa deve mudar.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet