Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Notícias / Política MT

Governador revela que vai investigar incentivos fiscais e descarta novos benefícios por 90 dias

Da Redação - Raoni Ricci

03 Jan 2015 - 18:00

Foto: José Medeiros / Secom-MT

Governador revela que vai investigar incentivos fiscais e descarta novos benefícios por 90 dias
Em um das primeiras entrevista que deu após ser eleito governador do estado, no dia 05 de outubro, Pedro Taques (PDT) avisou que tinha informações sobre fraudes na concessão de incentivos fiscais na gestão de Silval Barbosa (PMDB). Ontem (02), entre os seus primeiros atos, o governador assinou o decreto nº 4 determinando investigação em todos os processos autorizados pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme) e proibiu novos benefícios no prazo de 90 dias.

Leia mais
Taques denuncia "venda" de incentivos e promete punir 'aqueles que roubam o dinheiro público'

A suspensão está prevista no artigo 3º do decreto. “Fica suspenso o recebimento, o processamento, a avaliação e a concessão de novos benefícios fiscais ou quaisquer outras pretensões que impliquem em renúncia de receitas pelo Estado de Mato Grosso pelo prazo de 90 dias, renovável por igual período”, diz trecho.
 
O parágrafo 01º do mesmo artigo determina que todos os incentivos já concedidos sob qualquer título ou natureza serão objeto de ações de auditoria por iniciativa da Controladoria Geral do Estado, que deve contar com o apoio da Subcontroladoria Geral de Controle Interno.
 
A medida mostra que o chefe do Executivo vai investigar tudo que for suspeito, mesmo que tenha que auditar contratos firmados com empresas que investiram dinheiro em sua campanha eleitoral. Algumas delas são prestadoras assíduas de serviço ao Estado.
Josinei Moreira

Em outubro, após as declarações de Taques, o então secretário da Sicme, Alan Zanata, que era um dos coordenadores da campanha de Lúdio Cabral (PT), se defendeu e informou que o governador teria que investigar empresas que doaram dinheiro para sua campanha em 2014.
 
Segundo o ex-secretário, Bimetal, do prefeito Mauro Mendes (PSB), Vanguarda, do prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), além de Açofer, Todimo e City Lar, investiram em Taques e estão na lista das empresas beneficiadas.
 
Será formada uma comissão executiva que vai definir os limites das ações de auditoria, orientar as metas dos trabalhos, acompanhar sua execução e adotar medidas necessárias para correção de vícios que sejam apurados. A comissão será composta pelos secretários Paulo Brustolin (Fazenda), Marco Marrafon (Planejamento), Ciro Rodolfo Gonçalves (Controladoria Geral), e Patryck de Araújo Ayala (Procuradoria Geral do Estado).

Os pedidos de concessão de incentivos são analisados por um conselho composto por 18 entidades, sendo metade do governo e metade da sociedade civil organizada. Ao secretário cabe somente o voto de minerva, no caso de empate.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Contribuinte
    04 Jan 2015 às 18:33

    Nota-se que muitas pessoas que comentam não tem o mínimo conhecimento. Os poderes são independentes, como que o chefe do executivo vai revogar benefícios do judiciário e do MP. Esse é o nível dos eleitores desse país.

  • marcos
    04 Jan 2015 às 12:51

    E os R$1200,00 de auxílio alimentaçao dos membros do MP será que vai cortar, pq ao invés de querer prejudicar os demais funcionários públicos não estende este benefício a todos, vai devagar governador, ou caso contrário esteje preparado para uma greve geral dos funcionários públicos de MT

  • jose a silva
    04 Jan 2015 às 12:39

    Cuiabano porreta e mané: quem controla o auxilio, aos magistrados, não é o governador: esse valor vai sair dos repasses constitucionais dos poderes que concedem os "beneficios"! E o governador não tirou o aumento dos servidores, pois isso não tem. O que tem é simplesmente a reposição inflacionária, ao salário, e isso ficou!

  • Contribuinte
    04 Jan 2015 às 12:37

    As empresas incentivadas são as maiores doadoras nas campanhas eleitorais. Por que será?

  • Ilse
    04 Jan 2015 às 10:13

    Realmente esse negocio de incentivos fiscais é uma situação que sempre foi obscuro para a sociedade pagadora de impostos. Apenas se supõe que "tal segmento" dos mais poderosos recebe esse tal beneficio. Isso precisa ser muito bem esclarecido e regulado, pois não é justo que quem tenha mais ´pague menos. Espero sinceramente que isso seja passado a limpo e mais importante , que se mostre para o contribuinte quem é quem nesse grupo e quais os mecanismos e ou critérios usados para proporcionar tais benefícios.

  • manoel
    04 Jan 2015 às 09:18

    A ENGEGLOBAL será investigada???!!!

  • Mane
    04 Jan 2015 às 09:17

    1º ato do Governador- ir a tvca( antes do expediente). 2º ato- dizer que não vai dar prosseguimento as obras da Copa( demagogia),pois o penalizado será o povo.3º Ato- congelar o aumento do funcionalismo( erro grosseiro ). Vamos aguardar os próximos tropeços , da nova vidraça do Paiaguás.

  • MARIA
    04 Jan 2015 às 08:55

    Investigar, acho que deve fazer, mas tooodooooos!

  • Junior
    03 Jan 2015 às 23:01

    Amaggi, Bunge, ADM, Louis Dreyfus, Cargill será investigada?

  • Junior
    03 Jan 2015 às 23:00

    Prodeic. Esse era o programa das falcatruas.

Sitevip Internet