Olhar Direto

Notícias / Política MT

Taques resiste a pressão de aliados e insiste em perfil técnico para segundo e terceiro escalão

Da Redação - Ronaldo Pacheco

15 Jan 2015 - 08:00

Foto: José Luiz Medeiros / Secom-MT

Pedro Taques segue com nomeações para compor staff, após definir primeiro  escalão sem susto

Pedro Taques segue com nomeações para compor staff, após definir primeiro escalão sem susto

As cobranças por espaço no governo de Mato Grosso fizeram o governador José Pedro Taques (PDT) a mandar um aviso aos aliados: as indicações políticas são bem vindas, desde que haja capacidade técnica. Ele escolheu o primeiro escalão por sua conta e risco.

Leia também:
Novo secretário de Agricultura fecha Intermat e demite cargos comissionados via ofício em mural
 
Todavia, a reportagem do Olhar Direto apurou com fonte fidedigna que o governador passou a fazer nomeações para o segundo, terceiro e quarto escalões a partir de sugestões dos aliados que contribuíram para a vitória, em outubro do ano passado.
 
A prova de que mantém o exigência técnica, mesmo com a indicação política, são as escolhas do professor Antônio Carlos Máximo para a Fundação de Pesquisas de Mato Grosso (Fapemat) e de Guilherme Linhares Nolasco para o comando do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea). Antônio Máximo foi secretário de Meio Ambiente de Cuiabá, nos dois primeiros anos da administração Mauro Mendes.
 
“As nomeações seguem o critério do perfil técnico adotado pelo governador, na escolha de praticamente todo o seu primeiro escalão”, desconversou o presidente do PSDB, deputado federal Nilson Leitão, pouco antes de se reunir com o secretário Paulo Taques, chefe da Casa Civil. Leitão tem sido um dos principais interlocutores de Pedro Taques. 
 
Antônio Carlos Máximo é mestre em Educação pela PUC de São Paulo, professor aposentado da UFMT e já conduziu a Secretaria de Meio Ambiente de Cuiabá. Também foi secretário-adjunto de Políticas Educacionais na Secretaria de Estado de Educação (Seduc), nas gestões de Gabriel Novis Neves e Ana Carla Muniz, entre os anos de 2003 e 2005, quando o governador era o atual senador Blairo Maggi (PR).
 
Já o indicado para o Indea, Guilherme Nolasco, até então, ocupava a segunda vice-presidência da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).
 
Além deles, já foram nomeados Nelson Corrêa Viana como secretário adjunto de Administração Sistêmica, na pasta de Desenvolvimento Econômico; Douglas de Jesus Araújo, para exercer o cargo de chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Planejamento; e Paulo Rogério Lemos, para a chefia de gabinete da Segurança Pública.
 
Para a Casa Civil, Pedro Taques nomeou Julyene Paolla dos Reis para a secretaria adjunta de Relações Políticas. Também na Casa Civil, Marina Henriqueta de Oliveira e Selmo Antonio Rodrigues foram nomeados para exercerem os cargos em comissão.  

Nesta semana, para a Casa Militar, foi nomeada Sandra Fernandes de Almeida Batista como gerente administrativa. Além desses, o Diário Oficial também publicou atos de nomeação que oficializam os nomes anteriormente anunciados pelo governador Pedro Taques.

São eles: o diretor da Polícia Judiciária Civil, Anderson Aparecido dos Anjos Garcia; o comandante do Corpo de Bombeiros, Júlio Cézar Rodrigues; o diretor do Detran, Rogers Elizandro Jarbas; o comandante-geral da Polícia Militar, Zaqueu Barbosa; o diretor geral da Policia Civil, Adriano Peralta Moraes; e Fábio Galindo Silvestre, sobrinho do ex-prefeito Chico Galindo (PTB), para secretário-adjunto de Segurança Pública.
 
Passam a compor a Procuradoria Geral do Estado: Francisco de Assis da Silva Lopes (procurador-geral adjunto), Aíssa Karin Gehring (subprocuradora-geral de Defesa do Patrimônio Público), Flávia Beatriz Corrêa da Costa (coordenadora do Centro de Estudos), José Vitor da Cunha Gargaglione (subprocurador-geral Administrativo), Ana Cristina Costa de Almeida Barbieiro Teixeira (subprocuradora-geral Judicial), Mônica Pagliuso Siqueira (subprocuradora-geral Fiscal), Claúdia Regina Souza Ramos (subprocuradora-geral de Gestão de Pessoal), Adérzio Ramires de Mesquita (subprocurador-geral de Coordenação de Cálculos de Precatórios e de Recuperação Fiscal) e Ana Flávia Gonçalves de Oliveira Aquino (subprocuradora-geral de Defesa do Meio Ambiente).

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • chico peralta
    17 Jan 2015 às 17:24

    Que perfil tecnico o adjunto do tesouro estadual tem???? Foi nomeado porque é fiscal. Pressao do sindicato. Atuou no conselho de etica e nada entende de financas publicas. A sefaz esta entregue ao sindicato dos fiscais. Governador que politica é essa de entregar a sefaz a um sindicato??? Cade a meritocracia??? O adjunto do tesouro entende de financas como um marceneiro entende de dentes!!!

  • Hélio Santos
    16 Jan 2015 às 09:58

    Continuando. E volto a dizer, torço para que o Sr. Pedro Taques faça um bom governo. Só não estou concordando com essa euforia toda de alguns meios e de vários comentaristas sobre as exonerações. Isso tudo é normal e previsível.

  • ARAPONGA 7007 rondopolitano
    16 Jan 2015 às 06:48

    ((((SOCIEDADE)))) tem 1 MILITAR lá de VARZEA GRANDE que foi CHEFE DO POSTÃO de SAUDE é 1 tarrrrrrr de MARCELO que JOGA do LADO do VENTOOO ele tem de 12 ANOS DE PMMT e só MAMA na TETA de PREFEITURA DE VG e agora tava no GOVERNO DO SIVAL na FARMACIA e agora já tá BERANDO o baixinhooo ((((CUIDADO Drº TAQUES)))) puxa capivara desse MALA "SAUDOSO WALTER RABELO" ja fez materia dele sobre MAL TRATOS AOS idosos na porta do postão É 1 PESSIMO ADMINISTRADOR>

  • Jo
    15 Jan 2015 às 22:28

    Alguém pode informar qual perfil técnico do Sr. Layr Mota?????? Nomeado para Empaer? Pelo que me consta nenhum. Conta outra Pedro taques...

  • Hélio Santos
    15 Jan 2015 às 18:13

    O título da matéria é totalmente parcial, pró-governador. O texto pretende passar a ideia de que o senhor Pedro Taques mantém sua palavra, sua promessa de campanha, mas há pressões e se acaso houver nomeações políticas (como de fato já há), não será responsabilidade do rei, digo, do governador, mas sim das pressões político-partidárias. Ora, mas em campanha ele não falava sempre que quem governaria seria ele e não os partidos políticos? Assim, quem escreveu o texto pretende que sejamos paciente com o rei, digo, com o governador. Afinal, mesmo ele sendo o paladino da moralidade pública, há pressões "aterrorizantes". Pelos comentaristas abaixo já sabemos que há muitas nomeações que, aparentemente, não são técnicas coisa nenhuma (afinal, como explicar pelo viés técnico, a escolha do Suelme, que é historiador, para a Secretaria de Agricultura?), mas sim distribuição de cargos aos partidos e seus quadros. Além das cotas para os partidos, supôe-se que há cotas para pessoas de prestígio, como o Mauro Mendes. O que quero dizer com isso? É que não há nenhuma novidade no novo governo, pelo menos por enquanto. Todo governo que entra procura mostrar trabalho desde o inicio, causando estardalhaço e tentando queimar totalmente a imagem daquele que saiu. E volto a dizer, torço para que o Sr. Pe

  • lisbete
    15 Jan 2015 às 17:19

    TODOS SÃO IGUAIS: FALA QUE VAI MUDAR AS COISA, MAS NÃO RESISTEM Á PRESSÃO DE QUEM OS AJUDOU A SUBIR AO PODER. ISTO É O BRASIL

  • Jose Maria
    15 Jan 2015 às 10:51

    Indicando presidente de partido político, mulher de secretário, sobrinho do Galindo, blogueira do mesmo partido, afilhado político do Mauro Mendes, este último no PRIMEIRO escalão ainda... Tá resistindo "muito" a pressão!!!! Hahaha, me engana que eu gosto!

  • Manoel
    15 Jan 2015 às 10:45

    É isso ai Governador, muita indicação de políticos. Na hora de trabalhar NADA e nem comparece para trabalhar . Acham que estão no Olímpio da consagração. A cara de pau é tanta, que acham que Deputados são seus Deuses. Ninguém me tira ninguém me pertuba rsrsrsr. Isso tem que acabar, coloca gente com perfil do Cargo e não Cargo com perfil do seu político.

  • Julio Mattoso.
    15 Jan 2015 às 10:16

    Gov.Pedro Taques, o senhor tá certissimo. Continue nessa linha de raciocinio. Nada de politicos profissionais. Lugar de politico é nas assembléias,e camaras municipais. Se nomear algum politico,ou cabo eleitoral,na sua administração, o senhor, corre o risco, de ter dores de cabeça. Até aqui o senhor tá certissimo. Nada de politicos.

  • DÉCIO
    15 Jan 2015 às 09:38

    Bom mesmo é o Silval que nomeia "adevogado" pra comandar as obras da "copa" e administrador pra fiscalizar e como se não bastasse arrebentou a cidade com suas construções grotescas, algumas sem serventia nenhuma (ferradura da sefaz) só para ter como desviar mais recursos! Quem está achando muito azedo, ADOCE E ENGULA! O GOVERNO DE PEDRO TAQUES SERÁ O MELHOR DA HISTÓRIA DE MT!!!!

Sitevip Internet