Olhar Direto

Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Taques escala secretários para ‘abrir caminho’ na Esplanada dos Ministérios; Duarte conquista espaço

Da Redação - Ronaldo Pacheco

12 Fev 2015 - 17:11

Foto: Gcom-MT

Taques escala secretários para ‘abrir caminho’ na Esplanada dos Ministérios; Duarte conquista espaço
Na busca por espaço político e parcerias para investimentos do governo Dilma Rousseff em Mato Grosso, o governador José Pedro Taques (PDT) escalou o vice-governador Carlos Fávaro (PP) e parte do secretariado para fazer uma ‘via sacra’, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Alguns dos principais secretários de Estado percorreram nos últimos dias pelo menos nove ministérios.
 
Leia também:
Taques exonera diretor da cadeia de Nova Mutum e mais 22 servidores

Na ocupação por espaços na Corte, um dos que conseguiu se articular num curto espaço de tempo foi o secretário Marcelo Duarte, de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso. E um dos principais passos foi conquisatar o cargo de vice-presidente regional do Centro-Oeste do Conselho Nacional de Secretários de Transportes (Consetrans), para o biênio 2015-2017, fato raro para quem é ‘cristão novo’ na vida pública.
 
A reportagem do Olhar Direto apurou que, ao ocupar um dos cargos da diretoria executiva do Consetrans, Marcelo Duarte foi um dos que mais avançou, principalmente porque passará a ter  contado cotidiano com o ministro Antônio Carlos Rodrigues, dos Transportes. Ele e o presidente da Consetrans, secretário Carlos Osório, do Rio de Janeiro, terão interlocução permanente com  Rodrigues.
 
Marcelo Duarte confirmou que irá atuar fazendo uma interlocução junto ao Governo Dilma para viabilizar programas com foco na melhoria da logística do Brasil, com base no interesse comum dos Estados.  Ele adiantou que, em março, irá se reunir com o ministro Antônio Carlos Rodrigues e, no dia 14 de abril, será realizado um workshop para alinhar as estratégias para novos modelos de investimentos em transporte e logística. 
 
“Vamos ter uma política muito forte junto aos ministérios e autarquias, discutindo prioritariamente a melhoria das rodovias e as concessões. Também iremos intensificar os nossos esforços para o programa de ferrovias e hidrovias, bem como buscar viabilizar um programa de aviação regional, de portos e debater a regulação de serviços de transportes”, afirmou Duarte.   

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ademar Adams
    13 Fev 2015 às 08:05

    Taques está provando o veneno da sua falta de fidelidade partidária. Vai ter de comer muita farinha para abrir o espaço que o estado precisa e merece.

  • eduardo
    12 Fev 2015 às 20:13

    Enquanto que a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) produz informativo de como reduzir para o mínimo possível o uso da água na agricultura, por aqui, sem nenhum critério quanto ao uso sustentável desse precioso bem "finito", a secretária de estado do meio ambiente libera o uso da água para um único produtor rural. A outorga pode ser legal, no entanto, sabemos que há sérias deficiências na análise dos parâmetros qualitativos e quantitativos das bacias hidrográficas do estado, portanto, a prudência e o bom senso deveria falar mais alto do que simplesmente liberar uma licença, têm que avaliar as consequências do ponto de vista temporal também. Diante desse disparate é preciso lembrar ao senhor governador sobre a necessidade de ordenamento e planejamento no uso dos recursos naturais, sobretudo da água, que já sofre condições críticas em algumas regiões do país. Respeito e responsabilidade para com o meio ambiente é tudo que a sociedade deseja, conforme inclusive aponta o próprio plano de governo do senhor pedro taques para que o princípio da sustentabilidade na caia na retórica fácil e comprometa a gestão ambiental deste estado.

  • MARIA
    12 Fev 2015 às 19:20

    Lá em Brasília não tem espaço, só cubículo, não apoiô a Dirma!