Olhar Direto

Sexta-feira, 04 de dezembro de 2020

Notícias / Política MT

Botelho rechaça rótulo de “caça fantasma” e dispara: Tem deputado confundindo as coisas

Da Redação - Jardel P. Arruda

19 Fev 2015 - 09:46

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Botelho rechaça rótulo de “caça fantasma” e dispara: Tem deputado confundindo as coisas
O deputado estadual Eduardo Botelho (PSB) rechaçou que a Comissão Especial de Reforma e Modernização Administrativa da Assembleia Legislativa irá caçar “funcionários fantasmas” durante os trabalhos. Sem citar nomes, ele criticou a postura de parlamentares da mesma comissão que falaram à imprensa da existência de super salários e de “cabides de empregos”.

Leia mais:
AL-MT recontrata sete grávidas que foram exoneradas por erro

“Não vamos caçar fantasmas. Tem deputado da comissão que está confundindo as coisas. Até porque, demitimos todo mundo. Não tem mais funcionário aqui”, afirmou Botelho, na tarde de quarta-feira (18). Uma semana antes, o deputado Wilson Santos (PSDB), membro da comissão, fez diversas declarações sobre a existência de funcionários fantasmas e super salários de até R$ 71 mil entre servidores.

Para Botelho, “caçar fantasmas” seria a função de uma sindicância que possibilitasse a ampla defesa do servidor, com todo o devido processo legal. Isso seria possível através de um recadastramento dos funcionários, contudo, seria necessário muito tempo. “Fui um dos defensores da demissão de todos. Um recadastramento levaria muito tempo e é isso que não queremos. Temos que focar no que realmente é importante”, disse.

Ele explicou que a comissão deverá trabalhar com metas de redução de gastos e de pessoal e, enquanto os trabalhos não forem concluídos, apenas um mínimo de comissionados serão recontratados. “Devemos recontratar entre 100, 150 funcionários comissionados. O mínimo necessário. Queremos economizar”.

Reunião

Os secretários da Assembleia Legislativa se reuniram a portas fechadas na tarde desta quarta-feira para reunirem os dados iniciais sobre o quadro de funcionários da casa a ser repassado a Comissão Especial de Reforma e Modernização Administrativa. Além disso, o deputado Eduardo Botelho fez uma lista de requisição de dados aos funcionários da Casa de Leis.

“Precisamos saber o quanto foi gasto ano passado para podermos estabelecer metas. Pedi informações sobre gasto com passagens, pessoal próprio, pessoal terceirizado, material gráfico, propaganda, reforma e muito mais. Aí, por exemplo, se gastavam R$ 1 milhão em combustível por mês no ano passado, queremos reduzir para R$ 500 mil”, concluiu.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet