Olhar Direto

Domingo, 20 de junho de 2021

Notícias | Política MT

REPOSIÇÃO

Gilmar Fabris defende pagamento da RGA, mas pede compreensão de servidores do Executivo

Foto: Reprodução

Gilmar Fabris defende pagamento da RGA, mas pede compreensão de servidores do Executivo
O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gilmar Fabris (PSD) defendeu, por meio de comunicado enviado à imprensa nesta terça-feira (06), que o governo do Estado cumpra com o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores públicos. No entanto, Fabris pediu compreensão por parte do funcionalismo e afirmou que é preciso reconhecer as dificuldades financeiras que impossibilitam o pagamento imediato do benefício.

Leia mais:
Fórum Sindical rejeita proposta de parcelamento da RGA e convoca greve geral

"Todos os deputados são favoráveis ao pagamento da RGA. Mas, precisamos achar as condições adequadas. E a proposta do governo do Estado em pagar parcelado é a única alternativa viável neste cenário de crise econômica", disse.

Na semana passada, o Governo apresentou uma proposta de pagamento da RGA de 2017 - referente ao ano de 2016 -, em três parcelas somente a partir de janeiro de 2018, quando serão incorporados 2.15% do valor devido ao salário dos servidores. Em abril do mesmo ano vão ser pagos mais 2.15% e, em setembro, 2.14%. O valor foi calculado sob juros incidentes de cada parcela.

A proposta foi rejeitada pelo Fórum Sindical, que representa mais de 20 categorias representadas por cerca de dois mil servidores. A contraproposta apresentada pelo Fórum prevê o pagamento integral da RGA ainda este ano, sob o risco de greve geral caso a solicitação não seja atendida.

Na avaliação do deputado estadual Gilmar Fabris, o governador Pedro Taques (PSDB) tem credibilidade com o servidor público. Isso porque, em razão da crise econômica, parcelou o pagamento da RGA de 2016 aos servidores públicos e quitou em sua integralidade.

"Mato Grosso junto com o Paraná são os únicos que irão pagar a RGA. Por conta de dificuldades financeiras, o governo do Estado parcelou o montante de 7%, mas atingiu o total de 11% que os servidores públicos desejavam. Eu acredito que o governo tem credibilidade para pedir o parcelamento, pois honrou com aquilo que firmou no ano passado. O servidor merece dar um voto de confiança ao Estado", avaliou.

"Infelizmente, o cenário é muito desfavorável para o equilíbrio das contas públicas. Ainda assim, Mato Grosso tem trabalhado alternativas para garantir a valorização salarial do servidor público", completa o deputado Gilmar Fabris.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet