Olhar Direto

Quinta-feira, 15 de abril de 2021

Notícias / Cidades

br-364

Polícia identifica travesti morta a tiros e investiga latrocínio ou desavença com cliente

Da Redação - André Garcia Santana

25 Jun 2017 - 14:25

Foto: Reprodução/Facebook

Polícia identifica travesti morta a tiros e investiga latrocínio ou desavença com cliente
Identificada como Tabata Brandão, 20, a travesti encontrada morta no início da manhã deste domingo (25), foi assassinada com quatro tiros em um ponto de prostituição nas proximidades da rodovia BR-364, em Rondonópolis (215km de Cuiabá). Considerando a forma na qual o corpo foi achado e o fato de que o celular da vítima foi levado, a Polícia Civil da cidade trabalha com duas linhas principais de investigação: latrocínio e uma possível desavença com clientes.

Leia mais:
PM encontra travesti morta no meio da rua após denúncia

De acordo com os investigadores testemunhas informaram que um veículo foi visto parado próximo ao cadáver de Tabata por pelo menos 20 minutos. Os passageiros estariam ingerindo bebida alcoólica e deixaram a local antes da chegada da polícia. Os profissionais buscam agora por imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos da região, na tentativa de identificar o autor dos disparos. “Por enquanto não vamos divulgar as características do carro para não atrapalhar a apuração.”

A situação foi registrada pela Polícia Militar (PM), depois de uma denúncia anônima, inforamando que a vítima estava caída no meio da Rua 19 de Novembro, no bairro Jardim Belo. A Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) também foi acionada e constatou que três dos disparos que a atingiram foram feitos pela frente e um por trás, o que, segundo a polícia, indica que ela tentou fugir. Um rastro de sangue na via aponta ainda para uma possível luta corporal entre o suspeito e a travesti.

Ao Olhar Direto a Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) informou que, embora estas sejam as principais suspeitas, a hipótese de crime de homofobia não foi descartada. Sendo assim, a orientação é para que ação tenha uma resposta rápida e exemplar à sociedade, por meio das investigações que serão conduzidas pelo delegado Thiago Damasceno, titular da divisão. A vítima era registrada como Jean Henrique Dias.

Pelo Facebook, amigos de Tábata lamentaram a situação. “Não acredito, minha grande amiga se foi. Levaram os sonhos suas conquistas. Super triste. Tabata Brandão vai com Deus. Mais uma amiga assinada”, disse uma de suas amigas. “Até quando isso vai acontecer? Até quando veremos trans sendo assassinadas? Sem palavras”, compartilhou outra usuária.”

Comentários no Facebook

Sitevip Internet