Olhar Direto

Sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

"Fui visitar Silval como amigo", rebate Cidinho após acusação de promessa para anular Ararath

Da Redação - Patrícia Neves / Wesley Santiago

25 Ago 2017 - 08:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Novos trechos da delação premiada de Silval Barbosa (PMDB) divulgados pelo Jornal da Globo, na noite de quinta-feira, 24, revelam que o ex-governador  também possui gravações  efetuadas no interior do Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), onde permaneceu encarcerado por quase dois anos. Acusado de fazer uma visita ao peemedebista com a intenção de demovè-lo da idéia da delação, o senador Cidinho Santos (PR) negou que tenha prometido barrar a Ararath: "Fui visitar como um amigo". 

Segundo a reportagem, após os rumores de que poderia firmar uma delação premiada, ele  solicitou a seu filho que levasse até  à cadeia  um gravador. Na sequência, ele gravou visitas que recebeu dos  senadores Wellington Fagundes (PR) e Cidinho Santos (PR). 

Leia Mais:
Após vídeo onde recebe dinheiro, Emanuel diz que Silval deturpa fatos, que enfrenta injustiça e que tem a verdade ao seu lado

Neste diálogo, o senador teria se apresentado como emissário do ministro Blairo Maggi (PP), Wellington Fagundes (PR) e Pedro Taques para propor que Silval desistisse de fazer uma delação. Em troca, esse grupo garantiria que a Operação Ararath, na qual o ex-governador do PMDB é investigado, fosse anulada.

Questionado, Pedro Taques negou ter participado de qualquer conversa a respeito desse assunto. “Eu não tenho esse poder, nunca tive. Nunca conversei com Cidinho sobre a Ararath, nem sobre esse tema. Tem que perguntar pro Cidinho”, ponderou.

Em entrevista ao Olhar Direto, o senador Cidinho Santos informou que "fiz uma visita de solidariedade, como amigo. Fui dar incentivo e apoio ao Silval, não falei nada de ilegal. Me disseram que ele estava em depressão, chorando muito e se sentindo abandonado por todos".

Cidinho ainda acrescenta que "não fui a mando de ninguém. O senador Wellington Fagundes (PR) estava no interior. Eu apenas dei um abraço no Silval, mas não disse que iria barrar a Ararath. Não tenho nem autonomia para fazer isto".

Por fim, o senador ainda se coloca à disposição da Justiça: "Acredito que ele colocou isso para fortalecer a delação. Se eu for chamado para prestar depoimento, irei sem problemas. Se existir esta gravação, melhor ainda, porque todos vão ouvir e ter a certeza de que não fiz nada ilicito".


Atualizada às 10h05 - Veja íntegra da nota enviada à imprensa:

"Sobre notícia veiculada no Jornal da Globo, na noite de ontem, sobre uma visita minha ao ex-governador Silval Barbosa, tenho a esclarecer que:

1- Nunca neguei o fato que foi um ato de solidariedade a um ex-chefe de Estado, uma vez que, havia a informação de que estava em depressão e, embora não tenha trabalhado ou atuado no Governo dele, não justifica ignora-lo como muitos fizeram.

2- Não sou garoto de recado, não recebi orientação e não fui a mando de ninguém.

3- Lamento que no vídeo divulgado não conste o áudio, pois, seria de conhecimento de todos que nada falei no intuito de prometer qualquer benefício ao acusado.

4-  Se há algo do que se envergonhar, fica a cargo do ex-governador, que fez tudo de caso pensado, agiu de ma fé e arquitetou um plano para livrar-se da cadeia. Benefício garantido pela prática da delação premiada. 

4- Por fim, sigo com a consciência tranquila e inteiramente à disposição da Justiça para quaisquer esclarecimentos. 

Cidinho Santos
"


(Colaborou Jardel Arruda) 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet