Olhar Direto

Segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Dirigentes de siglas abrem as portas para juíza Selma Arruda ingressar e pleitear candidatura ao Senado

Da Redação - Ronaldo Pacheco

17 Mar 2018 - 14:45

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Dirigentes de siglas abrem as portas para juíza Selma Arruda ingressar e pleitear candidatura ao Senado
As portas de alguns dos principais partidos políticos estão abertas para a juíza Selma Rosane de Arruda, da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, caso encerre o seu ciclo no Poder Judiciário de Mato Grosso e decida sair candidata, em outubro de 2018. Entre respostas pouco claras, elogios e teses político-eleitorais, a reportagem do Olhar Direto ouviu alguns dirigentes partidários, inclusive alguns que aparecem como ‘clientes’ para julgamento da magistrada.
 
Selma Rosane de Arruda deve se aposentar em abril e disputar uma cadeira por Mato Grosso no Senado da República, no pleito deste ano. Embora haja rumores de ter convite do presidenciável Jair Bolsonarno (PSL), o seu rumo partidário não está claro e, nos últimos anos, foi vista em diferentes eventos ao lado do governador José Pedro Taques (PSDB).

Leia Mais:
- "Não estou atrelada ao governador", afirma Selma Arruda sobre candidatura ao Senado 

- Rodrigo Maia vem a Cuiabá dia 23 para filiação de Mendes e Botelho; partido quer candidatura ao governo MT

Todavia, das maiores siglas, o Partido da República, comandado pelo senador Wellington Fagundes, foi quem estendeu tapete vermelho. “O PR é um partido aberto a todos. E, com certeza, ter a juíza Selma em seus quadros seria algo bastante positivo e engrandecedor para a nossa sigla, que se pauta, fundamentalmente, pelo respeito às idéias que assegurem benefícios direto para a sociedade”, citou Fagundes, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Principal nome da oposição para o governo de Mato Grosso, Wellington Fagundes entende que o PR ou seu arco de alianças comportam  Selma Arruda como pré-candidata ao Senado. “Trata-se de uma magistrada de muito respeito e grande capacidade. Tem dado provas disso com sua atuação firme no Poder Judiciário.  Certamente, no processo político, ela poderá contribuir também de forma significativa com o aperfeiçoamento da legislação, seja a partir das reformas ou mesmo por  projeto de iniciativa”, sintetizou Wellington.
 
O presidente regional do PSDB, Paulo Borges Júnior, observou que a legenda possui um pré-candidato definido ao senado: deputado federal Nilson Leitão. Mas crê que seria uma aquisição importante, para o ninho tucano.
 
“Eu pessoalmente tenho muito apreço e admiração pela magistrada. Acredito que seria muito bem recebida no PSDB, mas não como pré candidata ao Senado”, desconversou Paulo Borges.

Para o presidente do PTB de Cuiabá,  vice-prefeito Niuan Ribeiro,  seria importante que falasse a linguagem do povo, na política. “Admiro muito  trabalho dela, mas não a conheço; até hoje não falei pessoalmente”, ponderou Niuan.
 
O presidente municipal do PTB conversou com o presidente regional, ex-prefeito Chico Galindo, sobre o possível convite à filiação de Selma. Mas prefere sugerir comportamento diferenciado.
 
“Eu vejo com bons olhos, porque é mais um nome colocado à disposição da população. A juíza tem reputação ilibada, acredita nos seus ideais, tem a sua bandeira e prestou serviços a Mato Grosso. Na democracia, quem julga as pessoas é o povo. Infelizmente tivemos pessoas que vieram do Ministério Público e do Poder Judiciário para a política e não entenderam espírito de político. permaneceram com espírito de Judiciário e de MP”, cutucou Niuan, sem citar Pedro Taques e o ex-juiz Julier Sebastião.
 
“Se ela conseguir o espírito da política é um grande nome para somar na vida pública de Mato Grosso. Precisamos de ficha limpa, com reputação ilibada e que desejam fazem o melhor pela população”, emendou Ribeiro, para a reportagem do Olhar Direto.
 
O presidente do DEM, deputado estadual Dilmar Dal Bosco,  disse não ter conhecimento sobre o que os líderes pensam sobre a magistrada.  “Não tenho idéia”, afirmou Dilmar.
 
Entre jocoso e bem humorado, o deputado federal Ezequiel Ângelo Fonseca, presidente regional do PP, recorreu a uma tese do papa Francisco, sobre a necessidade de que todos deem a sua contribuição. “Não tenho essa informação [sobre convite de alguém do PP para filiação]. Eu não convidei até porque nunca estive com ela. Todos devem participar da política, segundo o papa Francisco”, definiu Ezequiel Fonseca, sobre Selma ingressar na política.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet