Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Notícias / Ciência & Saúde

Especialista alerta para a importância do Atendimento Pré-Hospitalar em ambiente escolar

Da Redação - Fabiana Mendes

28 Mar 2018 - 12:02

Foto: Da assessoria

Especialista alerta para a importância do Atendimento Pré-Hospitalar em ambiente escolar
Quando acontece um acidente em um ambiente escolar, os cuidados iniciais são fundamentais. A médica especialista em Urgência e Emergência da Qualycare – especializada em Home Care, Remoções e Atendimento Pré-Hospitalar – Flávia Monteiro explica que os estabelecimentos destinados ao público infantojuvenil devem estar atentos à importância do Atendimento Pré-Hospitalar (APH).

Leia mais: 
AACCMT doa equipamentos para a UTI Infantil do Hospital de Câncer

Uma convulsão, fratura óssea, torção muscular ou até mesmo um corte mais profundo são situações que exigem atenção e cuidados especiais. Geralmente, as crianças passam por essas situações na rotina diária das escolas e berçários – o que mexe com a estabilidade emocional dos pais.

A médica Flavia Monteiro ressalta que outros incidentes, como picadas de insetos, podem surgir inesperadamente na escola e levam à situação de urgência. “Acionar a presença de uma equipe avançada – com médico – permite o manejo adequado em situações graves, fazendo os primeiros atendimentos e encaminhando para local adequado”, explica.

Flávia destaca que a empresa, que trabalha com atendimento de internação domiciliar e prestação de serviços de remoção em ambulância, possui e oferece o serviço emergencial para instituições de ensino, com atendimento personalizado. “O serviço pode ser contratado e ficar à disposição dos alunos e professores pelo período que for acordado”, ressaltou.

LEGISLAÇÃO

O APH está previsto em lei para grandes eventos ou aglomerações. Para tanto, é imprescindível a disponibilização de uma equipe de atendimento que seja compatível à demanda.

A Lei municipal nº 4.984, de 27 de junho de 2007, diz ser preciso “a disponibilização de uma unidade de atendimento para os eventos com participação entre um mil e cinco mil pessoas e uma unidade adicional a cada vez que o número de participantes representar o dobro do limite máximo”.

Todavia, a lei chama a atenção quando se descarta que uma escola não seja um evento, mas se leva em consideração que aglomera um grande número de pessoas no mesmo lugar. “É preciso olhar sob esta ótica. Pois, a ambulância chega em poucos minutos e garante segurança às crianças e aos responsáveis pela escola”, pondera Flávia.

Além disso, segundo a assessoria de imprensa, está assegurado em diversos dispositivos jurídicos, a partir do momento em que o aluno é entregue aos cuidados da escola, passa a ser responsabilidade do estabelecimento sua integridade física e moral. A pactuação de uma parceria que visa o atendimento médico rápido e especializado pode trazer segurança jurídica à escola.
Sitevip Internet