Olhar Direto

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Júlio Campos culpa Marrafon por ‘desastre econômico’ e diz que ele não merece ser deputado federal

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

28 Mar 2018 - 15:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Júlio Campos culpa Marrafon por ‘desastre econômico’ e diz que ele não merece ser deputado federal
O ex-governador Júlio Campos (DEM) criticou duramente o trabalho do secretário Estadual de Educação, Marco Aurélio Marrafon (PPS), e o classificou como o responsável pelo 'desastre econômico' que o governo Pedro Taques vive, pelo seu trabalho à frente da secretaria de Planejamento. O democrata ainda declarou que o povo mato-grossense não merece o titular da Seduc como deputado federal.

Leia também
Juíza Selma admite possibilidade de filiação ao partido de Jair Bolsonaro


“Que me desculpe o professor Marrafon. Ele é uma pessoa que surgiu agora nesses últimos três anos em Mato Grosso e foi o causador do desastre econômico que o atual governo, em termos de planejamento e financeiro está vivendo. Ele foi secretário de planejamento e responsável por errar no cálculo, dando aumento das transferências de recursos do governo para os outros poderes acima do que podia”, disse o ex-governador à imprensa.

Para Campos, Marrafon também foi irresponsável ao aceitar todas as leis e por não conseguir negociar com os sindicatos para que a folha salarial não ficasse com o valor tão elevada e se transformasse em um dos maiores problemas da gestão.

“Hoje a transferência para os outros poderes é de mais de R$ 200 milhões por mês. A folha de pagamento dos servidores foi para mais de R$ 500 milhões. Foi uma irresponsabilidade total aceitar todas aquelas leis. Se ele fosse um técnico competente no setor de planejamento falar ao governador que estava errado. Tinha que negociar com os sindicatos para evitar esta explosão que está ai. O estado está ingovernável. Hoje o rombo já está neste em R$ 3 bilhões”, disse Júlio.

Por fim, Campos citou os supostos desvios de finalidade de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e declarou que Marrafon não seria um bom deputado federal pelo seu desempenho à frente as duas pastas durane a gestão de Pedro Taques (PSDB).

“O rombo que ele aprontou na educação, no caso Fundeb é de R$ 300 milhões. Ele é tão irresponsável que até agora está quieto. A imagem dele não é boa, acredito que ele não mereça do povo mato-grossense ser deputado federal, por que o trabalho que ele fez na secretaria de Educação não teve benefício nenhum para o Estado”, concluiu.

O secretário Marrafon, presidente estadual do PPS, já anunciou estar de saída do governo nos próximos dias para trabalhar em sua pré-candidatura a deputado federal.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet