Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

enigmático

“Comi canjica com amendoim e leite condensado com Jayme Campos”, diz Taques sem citar aliança

02 Abr 2018 - 11:36

Da Redação - Ronaldo Pacheco / Da Reportagem - Carlos Gustavo Dorileo

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Jayme e Taques, em evento público no passado

Jayme e Taques, em evento público no passado

A recomposição da aliança do PSDB com o DEM, iniciada em 2014, de forma a dar sustentação para a provável candidatura à reeleição do governador José Pedro Taques (PSDB) parece tão próxima quanto o sol. Aparentemente, o diálogo entre os principais líderes das agremiações ainda existe muito mais por questão de educação e cordialidade, que por real perspectiva de futura coligação, nas convenções partidárias de julho e agosto.
 
Pedro Taques foi lacônico ao especular sobre ter consumido canjica com o ex-senador Jayme Campos, principal líder do DEM. “Comi canjica com amendoim e leite condensado junto com o senador Jayme Campos”, observou o governador, ao lado do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), de Cuiabá, durante evento de entrega de barracas para feirantes, no bairro Poção – região Leste da Capital.

Leia mais:
- “Deputados da oposição estão absolutamente desequilibrados”, acusa Taques sobre denúncia fraude

- Cidinho se esforça para aprovar projetos municipalistas antes de concluir mandato
  
O chefe do Poder Executivo foi alvo de duras críticas do ex-governador Júlio Campos, irmão de Jayme, nas últimas semanas. Ao contrário da acidez do passado, Taques respondeu com pedidos de bondade no coração e leituras bíblicas. "Comi uma canjica ontem com o Jayme. Estamos conversando e ouvindo, para que possamos decidir, para frente", pontuou Taques, no mesmo evento.
 
Jayme Campos não atacou, mas mandou recados. E, entre os mais duro, lembrou que Taques imaginou ter vencido sozinho – em 2014 – a disputa pelo governo de Mato Grosso, sem convidar ninguém para ajudá-lo na gestão.
 
Em seu último evento público, na Quinta-Feira Santa da semana passada, na Ceasa, em Várzea Grande, para entrega de equipamentos adquiridos pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), Pedro Taques e Jayme Campos se cumprimentaram e pouco conversaram. Campos foi convidado para compor o dispositivo das autoridades e ficou poucos minutos, deixando o local  antes do término do discurso do secretário Suelme Evangelista Fernandes, titular da Seaf.
 
Pedro Taques tem utilizado os finais de semana para visitar obras e fazer reuniões políticas. Há poucos dias reuniu centenas de servidores comissionados para mostrar a importância de defender as ações de seu  governo. E lembrou a todos que, em caso de derrota do seu grupo político, quem possui DGA ou FG, provavelmente será demitido.
 
O governador tem enfrentado dificuldades para manter o seu grupo político com o qual chegou ao Palácio Paiaugás, em 2014. Dos maiores partidos, ficaram somente o PSDB e o PPS.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet