Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

DIREITA, VOLVER!

Selma se lança ao Senado pelo partido de Galli e Bolsonaro e revela impotência como juíza

05 Abr 2018 - 15:43

Da Reportagem Local - Carlos Gustavo Dorileo

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Selma se lança ao Senado pelo partido de Galli e Bolsonaro e revela impotência como juíza
A juíza aposentada Selma Arruda confirmou em entrevista coletiva concedida à imprensa na tarde desta quinta-feira (5) que irá disputar o Senado Federal em outubro e o partido escolhido para a filiação é o PSL, como já era cogitado. Nacionalmente, o partido é liderado pelo deputado federal e pré-candidato a presidente da República Jair Bolsonaro. Em MT, até a entrada de Selma, a maior liderança da agremiação era o deputado federal Victório Galli.

Leia também:
- Selma chama Bolsonaro de “mito” e diz que migrou para política por decepção com magistratura; veja vídeo
 
- Mato Grosso tem tradição de reeleger governadores que entram na disputa; até Silval venceu no primeiro turno 

- Dirigentes de siglas abrem as portas para juíza Selma Arruda ingressar e pleitear candidatura ao Senado

A magistrada aposentada não escondeu a emoção durante sua primeira entrevista como política e revelou certa “impotência” que sentia enquanto magistrada. Ela deverá focar seu discurso no combate à criminalidade e à corrupção. À frente da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, Selma mandou para a cadeia figuras políticas como José Geraldo Riva e Silval Barbosa.
 
A nova filiada ao PSL negou que seu projeto de entrar para a política seja antigo. Ela inclusive disse que em um passado recente “comitês da maldade” tentavam torná-la suspeita de ações importantes fazendo circular a informação de que ela teria preensões eleitorais.
 
“Eu não tinha essa coisa dentro de mim e eu só tive a certeza quando eu proferi uma sentença da operação Sodoma 1 e a sentença teve quatrocentas e setenta e poucas laudas, era um livro, e nessa sentença eu percebi que eu não trouxe resultado prático nenhum. Eu não consegui aplicar a Justiça do jeito que eu achava que deveria ser feito”, afirmou.

Sobre sua escolha pela sigla, Selma explicou ter se identificado com a ideologia do partido, que prega o conservadorismo, o liberalismo econômico com um estado mais enxuto e consequentemente com menos corrupção. 

"Vejo que o PSL é um partido que prega o liberalismo econômico, que sempre achei que coaduna com o combate a corrupção por que quando você pensa em liberalismo econômico, pensa em um Estado enxuto e as necessidades básicas geridas pela sociedade e não pelo estado. Isso no meu ponto de vista diminui a possibilidade de corrupção. Quanto maior o estado é mais bagunçado e mais corrupto", avaliou.

Questionada sobre as ideias do pré-candidato a presidência, Jair Bolsonaro, Selma respondeu ter se filiado a sigla e não ao deputado federal, com qual pode ter algumas divergências.

"O Jair Bolsonaro, assim como todos nós é uma pessoa com qualidades e seus defeitos. Eu nunca quis partidos de anjos. Ele já se posicionou contrariamente algumas coisas que eu penso. Eu não me filiei ao Jair Bolsonaro e sim ao PSL. As minhas idéias são minhas, a minha postura é minha e o que eu pensar, estou no estado democrático de direito. O que eu pensar vou sustentar minhas idéias. Se não for as mesmas do presidente da República paciência. Não existe lugar onde todos pensam igual", avaliou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet