Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

​subiu o tom

Tenho dificuldade de tolerar sujeito mentiroso e falsário como é esse governador, rebate Pivetta

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Tenho dificuldade de tolerar sujeito mentiroso e falsário como é esse governador, rebate Pivetta
Qualquer polimento no trato entre o governador Pedro Taques (PSDB) e seu ex-aliado Otaviano Pivetta (PDT) que ainda pudesse existir se dissolveu publicamente nos últimos dois dias. Em entrevista à rádio Jovem Pan FM, na sexta-feira (22), Taques comparou as criticas do pedetista à Caravana da Transformação ao pensamento escravocrata e o chamou de preconceituoso. A resposta de Pivetta veio ácida, em áudio amplamente compartilhado em redes sociais, no qual classifica o chefe do Executivo como doente, narcisista, populista e baixo nível, entre outros adjetivos.

Leia também:
Taques reconhece esquema da Rêmora, mas aponta combate à corrupção como marca da gestão
 
“Meu caro amigo, eu realmente tenho preconceito, viu, e meu preconceito é contra vagabundo, é contra mentiroso, é contra esses enganadores que em época de campanha política parecem estar cheio de boa intenção e cheio de vontade de fazer o bem, se dizem competentes porque sabem discursar, são afinados com as palavras, mas ao longo do exercício do mandato se mostram extremamente despreparados, incompetentes, mostram que não sabem administrar o orçamento doméstico, usam todas as mordomias possíveis do Estado, enchem a Casa Militar de cargos e de pessoas para ficarem bajulando ele. Enchem a Casa Civil de cargos e de pessoas pra ficar bajulando ele”, disparou o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde.
 
Pivetta lembrou que já foi leiteiro, caminhoneiros e pequeno agricultor, citando problemas financeiros pelos quais passou ao longo da vida. “Isso tudo eu fiz com o pé nas costas, agora tenho uma tremenda dificuldade de tolerar sujeito mentiroso, falsário como é esse governador que está ai. Esse cara enganou todo o povo de Mato Grosso. Esse cara não tem o mínimo de sensibilidade com as crianças a não ser com a filha dele. As crianças do Estado continuam estudando em escolinha de derreter criança. As crianças pobres que precisam do ensino público recebem todos os maus tratos possíveis pelo ambiente, porque as escolas continuam sendo as piores escolas possíveis”, continuou.


Taques e Pivetta foram aliados nas eleições de 2010 e 2014. (Foto: arquivo) 

A resposta à acusação de ser preconceituoso continuou. Pivetta afirmou que o governo investe mal na educação e comparou resultados de sua gestão em Lucas do Rio Verde com a do ex-aliado. De acordo com ele, MT investe por ano R$ 7 mil por criança da rede pública e Lucas R$ 6 mil.
 
“Nós fizemos um modelo de educação emancipador, que liberta as crianças, que prepara os nossos jovens para acessar bons empregos, que prepara os nossos jovens para a vida. O que o Pedro Taques fez ai foi a continuidade de uma tragédia que vem sendo conduzida há muitos anos e as nossas crianças se tornam vítimas da escola pública. Os professores não têm as condições para trabalhar, eu tenho preconceito contra pessoas enganadoras como esse governador, tenho mesmo e vou continuar alimentando preconceito contra vagabundo, pessoas mal intencionadas, contra usuários de pessoas de boa fé, como é esse cara ai. Esse cara é um viciado, o vicio dele é usar pessoas de boa fé até o esgotamento, depois que ele usa ele descarta”.
 
Ladrão de sigla partidária
 
Pivetta segue sua crítica acusando Taques de jogar baixo para viabilizar sua campanha de reeleição. “Agora ele virou ladrão de sigla partidária. Essa é a nova nomenclatura que nós temos que dar a ele. Ladrão de sigla partidária para conseguir tempo de televisão e verba partidária para fazer a campanha dele. Se é que ele não fez o caixa através dos esquemas de corrupção que se instalaram nesses três anos e meio do governo dele, muito provavelmente comandados por ele, porque de santo ele não tem nada”
 
O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde explica porque demorou até começar a manifestar suas críticas a Taques. “Eu esperava dele aquilo que ele sempre falou que era, um homem honesto decente e educado, que tinha mania de educação e que ia cuidar das estradas, dos serviços essenciais do Estado. Ele não fez nada que presta. Ele é populista, ele é de baixo nível, ele é narcisista, ele se presta a cuidar da imagem dele, que aliás é uma doença da infância, deve ter sofrido muito bullying e ele está querendo resgatar isso usado o orçamento de Mato Grosso, maltratando todos os mato-grossenses. Nota zero para esse cara. Tenho sim preconceito em relação a ele e a todos que se pareçam com ele”.
 
Escravagista e preconceituoso
 
A reação de Pivetta foi provocada por entrevista concedida na sexta-feira (20) por Pedro Taques à Rádio Jovem Pan Fm. Sobre as recentes críticas feitas por Pivetta à Caravana da Transformação, Taques rebateu: “Fizemos 70 mil cirurgias de catarata na Caravana da Transformação em um ano e três meses. Demoraríamos 70 anos pra resolver esse problema e alguns preconceituosos dizem ainda que isso é coisa da África, é mais ou menos o mesmo que os fazendeiros que diziam que era atraso libertar os escravos. Isso é preconceito”.


 "Isso é preconceito", disse Taques sobre críticas à Caravana da Transformação. (Foto: Rogério Florentino Pereira).

Taques ainda disse que não tem paciência para aceitar injustiças. “Tenho total tranquilidade em aceitar críticas, até as injustas, mentirosas e com viés não eleitoral, para ofender a honra das pessoas. Agora, se eu me sentir ofendido, eu respondo. Essa é a diferença, eu não tenho paciência para aguentar injustiças. O dia em que eu perder a capacidade de me indignar com injustiças, vou mudar de local onde exerço minha função”.
 
O governador ainda partiu para a ironia. “Aqueles que não acreditam que avançamos não querem ver os números e, se tiverem com problema de visão e de catarata, devem ir fazer cirurgia”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet