Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

SEM EMBARAÇO

Após "manifesto", Pedro Taques se blinda para não falar sobre eleições

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Após
Desde que alguns ex-coordenadores da campanha eleitoral de 2014 partiram para o embate frontal, com a divulgação de ‘manifesto’ com 31 assinaturas, o governador José Pedro Taques (PSDB) mudou a rotina, principalmente em aparições públicas. Ele driblou as equipes de reportagens, nesta quinta-feira (26), ao visitar a Caravana da Transformação, na Arena Pantanal, em Cuiabá; e, depois, no seminário ‘Logística Intermodal de Escoamento pelo Pacífico’, no Salão Garcia Neto, no Palácio Paiaguás.
 
A própria presença de Taques, em cerimônias públicas, somente é confirmada momentos antes. E ele, mesmo nas falas sobre questões específicas, toma o cuidado de não se desviar do tema. Como aconteceu no seminário ‘Logística Intermodal de Escoamento pelo Pacífico’, onde Taques decidiu não gravar entrevista com os jornalistas que estavam presentes, na cobertura do evento.

Leia mais:
- “É conversa de boi voando que Wilson conta por ai”, rebate Mendes a líder do governo
 
- Tenho certeza que houve desvio do Fethab e eu não admito isso, critica Carlos Fávaro 

O estilo sorridente de Taques, sempre presente na Arena Pantanal, onde cumprimenta centenas de pessoas todos os dias, foi substituído por um semblante de extrema sisudez, durante evento no Salão Garcia Neto.
 
“Esta alternativa de saída via Oceano Pacífico [portos do Peru e Chile] vejo que seja importante para exportar o que nós produzimos. Porém, mais do que vontade política, necessitamos de estudos técnicos e de tecnológicos”, observou ele, ao lado de especialistas, como o doutor Alberto Ruibal, de Logística Comercial, e professor Alfredo da Mota Menezes, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).
 
A reportagem do Olhar Direto apurou que o recrudescimento dos ataques levou o governador a empurrar ao máximo o diálogo sobre a remontagem do seu grupo político. A estratégia é aguardar a passagem das nuvens carregadas, até que haja tonalidade azul no céu político de Mato Grosso.
 
Os secretários Domingos Sávio Parreirras, de Articulação Política; e Júlio Modesto, chefe da Casa Civil, mantêm o monitoramento constante do tabuleiro político. E Pedro Taques decidiu não movimentar as pedras do xadrez pré-eleitoral até que tenha visão ampla sobre com quem é possível contar, para formalizar futuras alianças.
 
Domingos Sávio negou que o governador esteja “fugindo” da imprensa por temer perguntas  consideradas indigestas. “Creio que os senhores já perceberam que o governador está focado na gestão. São muitas entregas previstas e muitas exigem seu acompanhamento direto. Ele não tem tempo para isso [pensar em eleição]”, ponderou Sávio Parreiras.
 
Pedro Taques sequer se declarou pré-candidato à reeleição, embora se comporte como tal, justamente por causa do momento conturbado em que tanto governo e oposição ‘batem cabeça’ na busca da melhor aliança. O governador sabe que muitos dos seus apoiadores de 2014 estarão em palanques opostos, neste ano.
 
Pedro Taques sabe muito bem que o seu estilo quase sempre ácido talvez não seja o melhor para o momento, em que a diplomacia é indispensável para conquistar novos e leais aliados.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet